Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    13/12/2017

    Professores são premiados por planos de aula de Língua Estrangeira com ênfase na educação ambiental

    © Divulgação
    É possível trazer a educação ambiental para o conteúdo programático das aulas de língua estrangeira nas escolas públicas. Foi isso que mostraram os professores premiados neste ano no Programa Sanear é Viver, da Águas Guariroba. A concessionária responsável pelos serviços de água e esgoto de Campo Grande reconheceu o trabalho de educadores da rede municipal de ensino que produziram os melhores planos de aula tendo como pauta o assunto saneamento e meio ambiente. A premiação aconteceu nesta terça-feira, 12 de dezembro, na sede da empresa.

    Professores autores dos três melhores planos de aula foram premiados com um tablet para o terceiro lugar, um celular para o segundo lugar e um notebook para o primeiro colocado. “É apenas um presente como reconhecimento ao trabalho realizado por estes educadores. O engajamento dos professores de língua estrangeira no Programa Sanear é Viver foi muito importante para o sucesso da ação neste ano”, avaliou Willian Carvalho, coordenador de Projetos Sociais da Águas Guariroba, responsável pelo programa.

    Um concurso cultural de cartazes sobre uso consciente da água utilizando a língua inglesa no modo imperativo foi o trabalho vencedor da edição 2017 do Sanear é Viver. A autora é a professora Tamarana Marques, da Escola Municipal Professor Arlindo Lima, do Centro.
    © Divulgação
    O plano ensina aos alunos a função de um cartaz, as informações e elementos que o compõe. A partir do debate, o professor direciona os alunos para o tema sobre a importância do saneamento básico para a saúde das pessoas e preservação do meio ambiente. A terceira etapa consiste na criação de frases de impacto, em língua inglesa, que tenham o objetivo de conscientizar a comunidade escolar sobre o uso adequado da água tratada e a importância do acesso ao sistema de esgotamento sanitário. Depois disso é lançado um concurso de cartazes feitos com as frases criadas pelo alunos.

    Para Tamarana Marques, o prêmio é um incentivo para o professor. “É um ‘ok’ da sociedade, através da Águas Guariroba e da prefeitura – por meio da Secretaria de Educação – dizendo que é possível fazer um trabalho diferenciado dentro de sala de aula”, comenta.

    O segundo lugar no concurso de planos de aula foi para a professora Ozória Pereira Demundo, da Escola Municipal Nelson de Souza Pinheiro, na Vila Corumbá. A atividade consiste em introduzir os alunos ao tema saneamento básico, produzir frases e relacionar a imagens sobre o uso adequado do saneamento. Depois os alunos produzem um jogo de tabuleiro, passando casas que mostram imagens e frases sobre uso de água tratada e destinação correta do esgoto.

    Léa Esteves dos Santos, da Escola Municipal Iracema Maria Vicente, do Rita Vieira, foi a professora que conquistou a terceira colocação entre os planos de aula inscritos. “Meu plano de aula totalmente voltado para as crianças das séries iniciais. Encontrei vídeos ilustrativos, coloridos, mostrando de forma bem animada para crianças, com situação de música, muito material, para introduzi-los ao tema”, comenta. A atividade propõe o jogos como jogo da memória, relacionando frases em inglês com imagens ilustrativas sobre uso consciente da água. Jogos como “caixa surpresa” e “batata quente” também integram o plano de aula, sempre relacionando a língua estrangeira com o tema proposto.

    “É muito importante este reconhecimento. É um incentivo muito grande porque muitas vezes isso passa despercebido, na rotina do dia a dia você não tem o olhar voltado para essa situação. Embora haja vários projetos na escola que englobam a educação ambiental, damos aqui mais ênfase à língua estrangeira”, avalia Léa.

    Isabel Cândido da Silva, da Escola Rachid Saldanha Derzi, no bairro Noroeste, se inscreveu no Sanear é Viver e teve o trabalho entre os finalistas. Para ela, a ação destaca o papel social da escola na formação de pessoas mais conscientes sobre a preservação do meio ambiente. “A escola já é o início da conscientização. Nós estamos lá para formar cidadãos. O objetivo dessa formação é realmente levar esse alunos a cuidar de uma sociedade futura. Trabalhamos assuntos transversais e o estudo da língua não tem barreiras, podemos falar de qualquer assunto. A partir do momento que você leva isso dinamicamente para o aluno, o estudante aprende mais”, observa.

    Fonte: ASSECOM


    Imprimir

    RECENTES

    POLÍTICA

    CONCURSOS