Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    25/05/2018

    Longen inaugura Centro de Inovação do Sesi de MS e mostra que tecnologia pode ser acessível a empresários

    ©Divulgação
    Com o propósito de mostrar que tecnologia pode ser acessível para todos, os serviços do Centro de Inovação – Sistemas de Gestão em Saúde e Segurança do Trabalho foram apresentados a empresários da indústria e autoridades como o ministro do Trabalho, Helton Yomura, durante cerimônia de inauguração do espaço, realizada pelo presidente da Fiems, Sérgio Longen, na manhã desta sexta-feira (25/05), em Campo Grande (MS). A solenidade marca a celebração do Dia da Indústria, que motivou um calendário de eventos durante todo o mês de maio com uma extensa programação em todas as unidades do Sistema Fiems em Mato Grosso do Sul.
    ©Divulgação
    Na inauguração, Longen destacou o caráter inovador do centro, idealizado para desenvolver soluções aos problemas das indústrias relacionados à gestão da saúde e segurança. “Os Centros de Inovação do Sesi no Brasil, que são oito, integram um compromisso do Sistema Indústria de trazer projetos e propostas que tragam resultados. Dessa forma, o Sistema está preparado para atender empresa a empresa, construindo a solução. É um avanço significativo para nós entregarmos essa obra no dia em que se comemora o Dia da Indústria, com a presença do Ministro do Trabalho”, disse o presidente da Fiems.
    ©Divulgação
    O ministro do Trabalho, Helton Yomura, falou sobre a importância da do centro para o desenvolvimento da saúde e segurança do trabalhador. “Muito feliz fico em saber que Mato Grosso do Sul foi escolhido para desenvolver ações e tecnologia na área de saúde e segurança do trabalho. Certamente o produto das inovações que foram geradas aqui vão significar menos acidentes, menos afastamentos, menos mutilações e óbitos, menos gastos previdenciários e famílias sadias com trabalhador pronto para entregar seu suor no desenvolvimento desse país”, analisou.

    Para o secretário estadual de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar, Jaime Verruck, com o Centro de Inovação, a indústria a nacional passa a ter um atendimento especializado. “Este trabalho é uma grande necessidade que o setor industrial tem, e o Sesi regional vem construindo uma metodologia adequada para atender esta demanda, que agora está consolidada com a inauguração deste centro”, afirmou.

    O presidente do TRT/MS, desembargador João de Deus, destacou que a Justiça do Trabalho só tem a agradecer ao Sesi pela criação de um centro de referência em SST. “A Justiça do Trabalho vê na saúde e segurança uma questão de dignidade, de direitos humanos e, por outro lado, uma questão financeira, que traz para a indústria um prejuízo enorme, acarretando no pagamento de indenizações, quando vemos elevados o número de acidentes. E esse é um espaço essencial para preservar as condições de saúde do trabalho e que privilegia a dignidade do homem e o patrimônio empresarial”, analisou.
    ©Divulgação
    Na mesma linha, o superintendente regional do Trabalho, José Ribeiro Duraes, ressaltou a parceria com a Fiems. “Somos gratos pela parceria com a Fiems, com o Sesi, por isso parabenizamos por esse Centro de Inovação e reforçamos que estamos à disposição para eventuais necessidades”, disse.

    Resultados

    O superintendente regional do Sesi, Bergson Amarilla, afirmou que o centro está pronto para atender às demandas da indústria na área de SST, reduzindo custos e ampliando a competitividade. “Aqui vamos discutir, debater, pesquisar e desenvolver serviços que vão impactar na produtividade das indústrias, à medida que vão ser reduzidos o absenteísmo do trabalhador”, exemplificou.

    A diretora de SST do Sesi, a médica do trabalho Adriana Rossignoli Sato, que coordena a equipe do Centro de Inovação, destacou o papel do espaço: desenvolver inovações para aumentar a segurança no ambiente de trabalho e melhorar a saúde do trabalhador da indústria. “O Centro de Inovação está aqui para desenvolver inovações que vão aumentar a segurança no ambiente de trabalho e melhorar a saúde do trabalhador da indústria. E estas inovações serão criadas sob a demanda da empresa. Tragam seus problemas para nós, apresentem qualquer obstáculo que a empresa enfrenta para alcançar um ambiente saudável e seguro, e vamos apresentar uma solução na área de gestão para conseguir resolver”, disse, depois de apresentar a equipe do Centro de Inovação, composta por uma médica do trabalho, engenheira civil, engenheira de segurança do trabalho, enfermeiro do trabalho, engenheiro da computação, desenvolvedores de sistemas e analista de requisitos.

    As soluções podem ser um software, como o piloto desenvolvido para uma indústria frigorífica de Dourados (MS), que, via reconhecimento facial e termostatos, registra o acesso à câmara fria, ou também o BIM SST, outra ferramenta inédita desenvolvida pelo Centro, que promete revolucionar projetos da construção civil e reduzir acidentes de trabalho no segmento. O custo varia conforme a necessidade apresentada pela empresa, mas pode ser até 90% custeado pelo edital de Inovação para a Indústria.

    Estrutura

    Cada Centro de Inovação do Sesi trabalha com diferentes linhas de pesquisa em SST. São elas: prevenção da incapacidade, na Bahia; economia para saúde e segurança, no Ceará; ergonomia, em Minas Gerais; sistemas de gestão de SST, em Mato Grosso do Sul; longevidade e produtividade, no Paraná; higiene ocupacional, no Rio de Janeiro; fatores psicossociais, no Rio Grande do Sul; e tecnologias para a saúde, em Santa Catarina.

    Em Mato Grosso do Sul, as pesquisas do Centro de Inovação são realizadas em Campo Grande para atender a indústria nacional desde 2016 e, a partir do dia 25, ganhará um ambiente propício para disponibiliza-las à indústria de todo o País. O espaço, localizado na Avenida Afonso, entre as ruas 13 de junho e 25 de dezembro, conta com um projeto arquitetônico arrojado, que faz jus ao propósito inovador do centro.

    Com 1,2 mil m² de área construída, e estrutura é distribuída em três pavimentos, e conta com dois consultórios, dois auditórios, duas salas de treinamento, uma sala de operação com 22 postos de trabalho, uma sala de inovação com 13 postos de trabalho, uma sala de gerência, uma sala de coordenador, uma sala com seis postos de trabalho e estacionamento para 18 vagas, duas para deficientes e duas para idosos. O espaço recebeu investimentos de R$ 7 milhões, entre edificação do espaço e aquisição de mobiliário.

    Serviço 

    A programação completa do Mês da Indústria, que tem o patrocínio do Sebrae/MS, pode ser conferida no site www.mesdaindustria.com.br.

    ASSECOM


    Imprimir