Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    27/03/2018

    A convite do deputado Dr. Paulo Siufi, presidente do Sisem volta a solicitar repasse a agentes

    "O que eles querem é o reconhecimento no bolso. Eles querem pagar suas contas”, ressaltou o deputado durante sessão

    © Divulgação/ALMS
    O presidente do Sindicato dos Servidores Municipais de Campo Grande/MS (Sisem), Marcos Tabosa, ocupou a tribuna da ALMS na sessão desta terça-feira, 27, a convite do deputado estadual Dr. Paulo Siufi (MDB) para mais uma vez cobrar a regularização do repasse do Fundo Estadual para o Fundo Municipal de Saúde, que garante acréscimo no salário de cada um dos 2,4 mil agentes comunitários de saúde da Capital. O Sisem já havia ocupado a tribuna em junho do ano passado também para reivindicar o pagamento do incentivo. À época, Siufi se reuniu com o secretário de Estado de Fazenda, Márcio Monteiro, que garantiu a regularização do repasse.

    O incentivo, previsto na Lei Estadual 4.841, de 14 de abril de 2016, de cerca de R$ 400,00, deveria ser repassado mensalmente aos agentes, mas, de acordo com Tabosa, isso não vem acontecendo. “São três meses atrasados. É uma quantia pequena para o Estado, mas que faz uma diferença muito grande no salário de cada um desses servidores, que trabalham de sol a sol combatendo a dengue, a zika e a chicungunha. É só olhar para os indicadores e os senhores comprovarão que estamos vencendo a luta contra o mosquito. Não entendo por que um Governo, que tem um orçamento de quase R$ 14,5 bilhões, não consegue pagar R$ 400 mil por mês. Se é o Governo do Estado ou a Prefeitura, não nos interessa. Só o que queremos é respeito”, afirmou o presidente do Sisem.

    O presidente da Comissão de Saúde da ALMS, deputado Dr. Paulo Siufi, lembrou a todos que a Casa de Leis aprovou a resolução 17, publicada no Diário Oficial em 30 de junho de 2016, que trata do assunto. Ela diz que as secretarias municipais de saúde ficam obrigadas a enviar anualmente à Secretaria de Estado de Saúde relatório de gestão acompanhado do balanço dos recursos de produtividade. E não mensalmente, como o governo estadual afirmou.

    “Fui atrás para saber em detalhes o que está acontecendo. Até porque não quero que essas pessoas saiam daqui enganadas ou desrespeitadas. Não temos que ver quem é o dono dos bois. O que temos que fazer é olhar para esta situação, porque eles estão sem receber. Trata-se de um recurso federal que é repassado para o Estado para que ele repasse às prefeituras. É uma cadeia de repasses. Mas por que tem que ficar parado? Se tem o dinheiro, por que não repassar aos agentes, não importa se tem relatório ou não, se é anual ou se é mensal”, argumentou o parlamentar.

    Dr. Paulo Siufi elogiou o trabalho realizado pelos agentes comunitários de saúde. “Uma coisa eu posso afirmar: eles trabalharam, visitaram as casas, porque o índice de dengue caiu na nossa Capital. Chicungunha, zika, ninguém fala mais nisso. Eu sou médico e posso falar com propriedade sobre a seriedade do trabalho deles. O que eles querem é o reconhecimento no bolso. Eles querem pagar suas contas”, ressaltou o deputado.

    Conforme informações da Prefeitura, o relatório será entregue ainda hoje para a SES, para que seja liberado o repasse aos agentes comunitários de saúde o mais breve possível.

    Fonte: ASSECOM
    Por: Adriana Viana


    Imprimir

    RECENTES

    POLÍTICA

    CONCURSOS