Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    20/09/2018

    Reinaldo: política pública de emprego alcança do jovem ao “mais experiente”

    Pano de governo de Reinaldo Azambuja tem um capítulo inteiro que trata de trabalho e renda

    ©Divulgação
    Candidato à reeleição pelo PSDB, o governador Reinaldo Azambuja mostrou no primeiro mandato que sabe administrar para a geração de emprego e renda em Mato Grosso do Sul. Mesmo enfrentando a maior recessão econômica do Brasil entre 2015 e 2018, MS conseguiu bons resultados: ocupa a primeira colocação do ranking dos estados em liberdade econômica e é o segundo estado na criação de vagas de trabalho.

    Prestes a encerrar o primeiro mandato, Reinaldo vai contabilizar em dezembro de 2018 a instalação de 66 grandes indústrias em 23 municípios de MS. Juntas, as novas empresas são responsáveis pela abertura de mais de 9,5 mil postos de trabalho. Quando somadas as vagas abertas em indústrias já existentes, após a convalidação dos incentivos fiscais, a geração positiva de empregos salta para 22,3 mil.

    Emprego para todos

    Para os próximos quatro anos de administração, as propostas de políticas públicas de Reinaldo na área do emprego e renda alcançam dos jovens aos mais experientes, com qualificação profissional e abertura de vagas no mercado de trabalho, principalmente nas indústrias. O governador falou sobre o tema nesta quinta-feira (20), em entrevista concedida ao jornal Correio do Estado.

    “Atravessamos uma crise e conseguimos manter Mato Grosso do Sul com geração positiva de empregos. Isso mostra que nossa política de trocar impostos por empregos funcionou bem. Agora vamos focar na qualificação profissional para os mais experientes e no primeiro emprego para os mais jovens, pois quanto mais capacitação profissional tivermos mais evitaremos uma importação de mão de obra”, falou.

    Para isso, Reinaldo vai fortalecer os programas de formação e qualificação profissional, aumentando as parcerias com o setor privado, e manter programas de incentivos fiscais para empresas vinculados à geração de emprego para as pessoas do Mato Grosso do Sul. “E a tabela de incentivos fiscais é variável. Então, aquelas empresas que derem oportunidade maior para a juventude, terá incentivo maior”, afirmou.

    Mulheres 

    As propostas também englobam as mulheres. “Hoje temos o programa Empresa Amiga da Mulher. Vamos ampliar para dar mais oportunidades. Indústria que tem benefício fiscal e der emprego às mulheres vai ter incentivo maior”, destacou. Funcionando através de convênio com empresas, o programa beneficia principalmente mulheres em vulnerabilidade social.

    “Tenho muito orgulho da oportunidade que tive em ser governador de MS. Governamos na crise, não deixamos o Estado quebrar hoje somos o segundo em geração positiva de emprego e primeiro que mais cresceu a renda do trabalhador. Tenho muito orgulho de ter feito políticas públicas na área do emprego que deram certo e melhoraram a vida dos sul-mato-grossenses”, pontuou Reinaldo.

    ASSECOM


    Imprimir