Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    19/09/2018

    Investimentos em logística colocam MS nos trilhos do desenvolvimento

    Estado recebeu R$ 38 bilhões de recursos privados, gerando empregos e renda

    ©Divulgação
    Resultado de investimentos em infraestrutura e logística para escoamento da produção e da troca de impostos por empregos, Mato Grosso Sul recebeu R$ 38 bilhões de capital privado no Governo Reinaldo Azambuja. 

    “Somos o Estado com mais investimentos privados: 38 bilhões. Hoje tem indústrias que geram novas possibilidades de emprego em Três Lagoas, Campo Grande, Dourados, Maracaju, em diversos municípios do Estado”, afirmou Reinaldo nesta quarta-feira (19) em entrevista à Rádio Diamante (FM 98,70), do Grupo Impacto.

    A maior fábrica de proteínas de soja da América do Sul (ADM) entrou em operação na Capital. Estão em construção uma indústria de processamento de soja e uma refinaria de óleo vegetal da Cooperativa Agroindustrial de Campo Mourão (Coamo), em Dourados; e uma fábrica de MDF, em Água Clara. 

    Já em Três Lagoas, uma nova fábrica de celulose da Fibria começou a operar e as obras da UFN3 (Unidade de Fertilizantes Nitrogenados) devem ser retomadas com a compra da empresa por um grupo russo, entre outros investimentos.

    São investimentos que ajudaram a levar Mato Grosso do Sul a números positivos de empregos e renda, conforme atestam os levantamentos mais recentes. Mato Grosso do Sul teve o melhor Julho na geração de empregos desde 2012 com 788 novas vagas no mercado de trabalho, revelou o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho.

    E mesmo em meio a uma das mais graves crises econômicas de todos os tempos, Mato Grosso do Sul se destaca como o estado com o maior aumento de renda do trabalho

    Levantamento, da LCA Consultoria e do IBGE, mostra que enquanto em 22 estados brasileiros a renda do trabalho desabou entre o primeiro trimestre de 2014 e o primeiro trimestre de 2018, em Mato Grosso do Sul ela teve aumento de 8%, colocando o estado no primeiro lugar do ranking de melhoria de renda do país.

    Rio, mar, terra e ar

    Mato Grosso do Sul está recebendo investimentos pesados em logística e os resultados estão em todos os lados. Reinaldo lembrou que o terminal portuário de Corumbá e Ladário foi revitalizado e está exportando soja e que o de Porto Murtinho também está em pleno funcionamento.

    “O que tem de novidade em [Porto] Murtinho? Tinha um porto, quando começou 2015, parado. Hoje tem um porto que exporta 60 mil toneladas. E nós temos dois projetos de terminais portuários de grupos privados que devem investir em Murtinho mais de R$ 200 milhões. São dois novos terminais portuários que vão fincar ali em Murtinho, para levar as riquezas produzidas por Mato Grosso do Sul e trazer as riquezas que a gente consome. Isso dá competitividade”, explicou o governador, que concorre à reeleição.

    Reinaldo afirmou ainda não ter dúvida de que a rota bioceânica ferroviária, chamada de Transamericana, será a mais importante da América do Sul, ao ligar os oceanos Atlântico e Pacífico, reduzindo distância e custo das mercadorias para a Ásia. Ela irá ligar o porto de Santos aos portos chilenos e peruanos.

    A outra rota bioceânica é a rodoviária, que vai fazer a ligação ao Pacífico pelos portos do Norte do Chile: Antofagasta e Iquiqui. A participação brasileira está na construção da ponte de concreto sobre o rio Paraguai, entre Porto Murtinho e Carmelo Peralta (PY). 

    Ainda na entrevista, Reinaldo falou sobre os investimentos em rodovias (5 mil quilômetros foram asfaltadas e recuperadas), na construção de mais de 100 pontes de concreto e na ampliação de voos para facilitar e impulsionar a atração de turistas a Mato Grosso do Sul.

    ASSECOM


    Imprimir