Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    05/07/2018

    Deputada Mara Caseiro comemora reforço no tratamento do Câncer com aquisição de novos equipamentos

    Mara Caseiro acompanha governador em agenda da saúde ©Gabriela Rufino 
    A deputada estadual Mara Caseiro (PSDB) comemorou o reforço que o Hospital Regional de Mato Grosso do Sul Rosa Pedrossian (HRMS) e o Hospital do Câncer Alfredo Abraão (HCAA) estão recebendo para o tratamento do câncer a partir da aquisição de dois novos aceleradores lineares.
    ©Gabriela Rufino 
    Ela acompanhou o governador Reinaldo Azambuja (PSDB) na assinatura da ordem de serviço e inauguração dos equipamentos, que tornarão o Estado autossuficiente no tratamento de radioterapia. 


    A aquisição é resultado do trabalho conjunto entre Governo do Estado, Ministério da Saúde e SUS (Sistema Único de Saúde). “Além de termos a oportunidade de avançar no tratamento contra o câncer aqui em nosso Estado, sobretudo no que diz respeito à radioterapia, podemos conseguir uma redução significativa na fila de espera”, observou Mara Caseiro.

    O Governo do Estado assinou ordem de serviço da obra de construção do bunker e área de atendimento do setor de radioterapia no HRMS, com investimento de R$ 10,5 milhões. A previsão é concluir em julho de 2019. No Hospital Regional, além da radioterapia (acelerador linear), haverá a construção da sala onde será feita a braquiterapia, um tipo de radioterapia interna, que usa a radiação em contato com o local da doença. A obra faz parte do projeto de reestruturação do HRMS.

    Mara Caseiro também participou da inauguração do acelerador linear do Hospital de Câncer, aparelho que estava em Goiânia (GO) e foi doado a Mato Grosso do Sul para substituir o antigo que estava em funcionamento.
    ©Gabriela Rufino 
    O Governo do Estado repassou R$ 2,7 milhões de recursos para a obra de ampliação do local (sala) e readequação e reforma do bunker. Após a conclusão da obra, foi necessário aguardar uma equipe que veio do exterior para fazer a instalação do equipamento.

    Com o novo acelerador, a estimativa é de que os atendimentos realizados no hospital passem de 50 para 100 por dia, diminuindo o tempo de tratamento para o paciente.

    Fonte: ASSECOM
    Por: Fernanda França 


    Imprimir