Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    27/05/2018

    Petroleiros anunciam greve de 72 horas a partir de quarta-feira (30)

    Por queda do preço dos combustíveis. Criticam Parente e política da Petrobras.

    ©Divulgação/FUP
    Em meio à crise dos combustíveis, petroleiros organizam uma greve nacional “de advertência“. A paralisação de 72 horas será a partir de 4ª feira (30.mai.2017). A mobilização é liderada pela FUP (Federação Única dos Petroleiros) e sindicatos filiados.

    Segundo nota da Federação, a categoria vai parar pela queda do preço do gás de cozinha e dos combustíveis, contra a privatização da empresa e pela saída imediata do presidente da estatal Pedro Parente. Em nota, culpam o executivo por, com o aval do presidente Michel Temer, ter mergulhado o país “numa crise sem precedentes”. 

    A categoria afirma que a atual política de reajuste dos derivados de petróleo é reflexo do maior desmonte da história da estatal. A FUP diz que “repudia enfaticamente mais esse grave ataque ao Estado Democrático de Direito e exige a retirada imediata das tropas militares das nas instalações da Petrobras.”

    Os trabalhadores indicam que a paralisação será alerta para a greve por tempo indeterminado já aprovada pela categoria.

    Neste domingo (27.mai), os petroleiros farão novos atrasos e cortes de rendição nas 4 refinarias e fábricas de fertilizantes que estão em processo de venda: Rlam (BA), Abreu e Lima (PE), Repar (PR), Refap (RS), Araucária Nitrogenados (PR) e Fafen Bahia.

    Na 2ª feira (28.mai) a FUP e seus sindicatos realizarão 1 “Dia Nacional de Luta”., com atos públicos e mobilizações em todo o Sistema Petrobras.

    Leia íntegra do comunicado feito pela FUP.

    Poder360


    Imprimir

    RECENTES

    POLÍTICA

    CONCURSOS