Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    28/03/2018

    Rose acompanha assinatura de acordo para projeto de ferrovia

    No Mato Grosso do Sul, a ferrovia TransAmericana vai passar pelos municípios de Corumbá, Campo Grande, Ponta Porã e Três Lagoas.

    © Divulgação
    A vice-governadora do Estado, Rose Modesto (PSDB) e o secretário Jaime Verruck, da Semagro (Secretaria de Estado de Meio Ambiente , Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar), participaram, nesta tarde (28), da solenidade de assinatura do documento de cooperação para a recuperação e ampliação da ferrovia TransAmericana, que ligará o Brasil a Bolívia.

    O compromisso foi firmado pelo Brasil por meio do Ministério dos Transportes com a Alemanha, representada pelo embaixador Georg Witschel. "Nós entendemos o quanto esta ferrovia é importante para o desenvolvimento de Mato Grosso do Sul e atuamos junto ao Governo Federal para viabilizar essa parceria", destacou Jaime Verruck.

    A ferrovia TransAmericana irá conectar o oceano Pacífico ao Atlântico, desde Ilo, no Peru, até o Porto de Santos. No Mato Grosso do Sul, a ferrovia vai passar pelos municípios de Corumbá, Campo Grande, Ponta Porã e Três Lagoas.

    Com a assinatura do documento o Brasil passa a contar com maior apoio da Alemanha na viabilização de novas tecnologias e práticas para a viabilização do projeto que conta com a Parceria da DB (Deutsche Bahn), Ferrovia alemã, que elaborou os estudos de viabilidade e que deverá operar a ferrovia em conjunto com os demais sócios do Consórcio.

    "Pela primeira vez nos ramificamos um documento dessa amplitude e isso com certeza vai estreitar muito as nossas relações, gerando bons frutos para p Brasil”, elogiou o ministro dos Transportes, portos e aviação civil, Maurício Quintella Lessa.

    TransAmericana – O projeto da Ferrovia TransAmericana é encabeçado pela Rumo, junto com a Ferrovia Oriental e Andina, o Hub Intermodal de Três Lagoas e a Transfesa, com apoio do governo do Estado. De acordo com o governo, a ferrovia, que permite a integração do modal ferroviário brasileiro e boliviano, reduzirá em até 25 dias o trajeto percorrido pelas exportações sul-mato-grossenses.

    Fonte: campograndenews
    Por: Adriano Fernandes


    Imprimir

    RECENTES

    POLÍTICA

    CONCURSOS