Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    27/02/2018

    Evento contou com a presença de lideranças políticas e rurais do Estado

    © João Carlos Castro
    O perfil sustentável do produtor rural foi destacado pelo presidente do Sistema Famasul – Federação da Agricultura e Pecuária de MS, Mauricio Saito, durante a abertura do Fórum ‘Oportunidades de Precificação de Carbono no Setor Agropecuário’, realizada nessa terça-feira (27), na sede da Casa Rural.

    Para Saito, o desenvolvimento do agro nos últimos anos está associado à preservação ambiental. “Em 10 anos, intensificamos o setor agropecuário em Mato Grosso do Sul de maneira significativa, mas mantivemos nossa cobertura vegetal nativa inalterada”.

    O presidente citou dados relacionados ao crescimento de diversas cadeias produtivas. “Foram incorporados cerca de 800 mil hectares em cana-de-açúcar, o mesmo em eucalipto e agricultura, ou seja, 2,4 milhões de hectares de pastagens foram convertidos em outras atividades mais intensivas e o que é mais interessante, a produção de carne em nosso estado praticamente foi mantida, inclusive com acréscimo”.

    Na abertura do evento, o Governador de MS, Reinaldo Azambuja, falou sobre a importância do evento para debater a valorização da sustentabilidade. “Em Mato Grosso do Sul temos potencial para sermos um estado carbono 0. Este trabalho é desenvolvido por várias institucionais de pesquisas, governamentais e não governamentais. Temos um saldo positivo em absorver mais gás carbônico, em relação ao que é emitido”.

    O secretário da Semagro, Jaime Verruck, lançou durante o evento o programa ‘Carne Sustentável e Orgânica do Pantanal, que trabalha pela expansão e fortalecimento do setor, visando a conversação do bioma. “Estamos aproveitando a discussão de precificação de carbono para lançarmos o programa que é na mesma linha e que visa a sustentabilidade. O programa resgata o processo produtivo tradicional do Pantanal”.

    O chefe-geral da Embrapa Gado de Corte, Ronney Mamede, falou como a agro tem contribuído para a geração de estoques de carbono.
    “Durante a COP 21, o Brasil se comprometeu, voluntariamente, a diminuir a emissão de gases de efeito estufa em 37% abaixo dos níveis de 2005 até 2025. [...]. Avanços importantes têm sido feitos nesses sentido”.

    O presidente da ABPO – Associação Brasileira de Pecuária Orgânica, Leonardo de Barros, destacou como o produtor tem atuado de forma eficiente no bioma. “Os processos produtivos que o homem pantaneiro criou, de forma específica, sempre foram compatíveis com a preservação”.

    Com foco na futura regulação do setor no País, o evento levará em consideração os avanços das pesquisas em quantificação nos diferentes sistemas de produção, além do programa de descarbonização firmado na COP21, na França.

    Políticas para a precificação, Acordo de Paris, inventários nacionais de emissões e panorama internacional estão entre os assuntos a serem discutidos por especialistas dos Ministérios da Fazenda; Agricultura, Pecuária e Abastecimento; Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicações; Banco Mundial; Embrapa; Confederação da Agricultura e Pecuária (CNA); WRI Brasil, dentre outros.

    O Fórum é realizado pela organização WRI Brasil, Embrapa, Sistema Famasul e Secretaria de Estado de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar (Semagro-MS), com apoio da Fundação MS, CREA-MS, Reflore-MS, Rede de Fomento ILPF, Abrasel-MS e Sindicato Rural de Campo Grande.

    Participaram do evento, o diretor tesoureiro do Sistema Famasul, Luís Alberto Moraes Novaes; a diretora secretária, Terezinha Cândido; o diretor técnico, Renato Roscoe; o superintendente do Senar/MS, Lucas Galvan e o secretário-executivo da CNA, André Sanches.

    Prestigiaram também o presidente da Aprosoja/MS, Juliano Schmaedecke; o presidente do MNP, Rafael Gratão; presidente da Reflore e do Sindicato Rural de Água Clara, Moacir Reis; o chefe-geral da Embrapa Pantantal, Jorge Lara, da Embrapa Pantanal; o secretário de estado de fazenda, Guaraci Luiz Fontana e o presidente da Abrasel, Juliano Wertheimer.

    Também participaram do evento o presidente do Sindicato Rural de Campo Grande, Ruy Fachini; de Corumbá, Luciano Aguilar Leite; o vice-presidente do Sindicato Rural de Bonito, Marcelo Bertoni e de Porto Murtinho, Italívio Coelho Neto. Entre as lideranças políticas marcou a presença os deputados estaduais Beto Pereira e Luiz Felipe Ribeiro Orro.

    Fonte: Assessoria de Comunicação 
    Por: Ana Brito


    Imprimir