Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    22/01/2018

    ARTIGO| Uma temporada tranquila

    Por: Waldir Guerra *
    O mês de Janeiro está me mostrando, em Balneario Camboriu (SC), uma cara diferente em 2018. A praia está com uma frequência maior de gente na parte da tarde do que pelas manhãs. As ruas estão entupidas de carros e o trânsito quase parado, mas os motoristas, assim como os comerciantes mostram-se sempre alegres. 

    Os turistas argentinos preferem ir à praia a tarde e esse é um hábito não somente dos turistas argentinos, mas uruguaios também. Nisso está a explicação da praia lotada às tardes. Outra particularidade: os Hermanos, como também são tratados por aqui, são muito bem aceitos, tanto na praia quanto nas ruas, mesmo sendo essa atual multidão de argentinos, de classe média. 

    Apesar de pouco gastarem com compra de mercadorias em lojas, mesmo assim, injetam muitos dólares na economia catarinense e por isso tornam-se agradáveis, claro. E por serem pessoas mais respeitosas quando comparadas com brasileiros da mesma classe média, são benvindos por aqui. 

    Meu horário favorito para caminhadas na praia sempre foi a tardinha, mas agora na temporada vou apenas nas tardes de maré baixa – quando a faixa de areia está mais larga. Isso porque, como já disse, a maioria dos turistas argentinos vai à praia a tarde e gosta de praticar dois esportes não muito comuns para nós brasileiros. 

    O jogo mais comum deles é o jogo de Maia – aquele que seria o nosso jogo de bochas. Só que eles substituem as bochas redondas por pequenas rodelas de madeira. O outro, claro, só poderia ser com bola e jogam fazendo uma mistura do Tênis com futebol. Claro, com toda essa gente, sobra pouco espaço para se fazer uma caminhada tranquila. 

    A temporada nem sempre é assim, mas este mês de janeiro foi diferente e são os turistas que fizeram essa mudança. Segundo o jornal “Diarinho” da imprensa local esta temporada trouxe mais de 3 milhões de argentinos para Santa Catarina - apesar de ser um número meio exagerado, concordo que o contingente de turistas estrangeiros é grande mesmo.

    Verdade que havia apreensão quanto a mobilidade urbana para esta temporada, mas a preocupação maior era para com a possível falta de agua, como também com a segurança dos pedestres nas estreitas vias públicas.

    Não faltou água e nem sobrou esgoto e quanto a segurança dos turistas pelas ruas da cidade, tudo ainda transcorre dentro da normalidade. 

    Aliás, aqui na cidade de Balneario Camboriu foi onde o Artigo 214 do Código de Trânsito Brasileiro melhor pegou. Diz a Lei “o motorista que deixar de dar preferência de passagem ao pedestre na faixa – mesmo que o sinal esteja verde para o veículo – comete infração gravíssima, sujeito a 7 pontos na carteira de habilitação e mais multa de R$191,54”. 

    Se bem recordo, o pioneirismo disso coube à cidade mato-grossense de Tangará da Serra quando, a uns trinta anos atrás, o prefeito determinou que os motoristas deveriam, obrigatoriamente, ceder a preferência de passagem aos pedestres em alguns pontos de cruzamentos na avenida principal. Para que isso se tornasse norma, ele mandou colocar grandes placas sinalizadoras, que mais pareciam uma ameaça aos apressadinhos e assim forçou os motoristas a obedecerem. 

    O exemplo foi copiado por outras cidades e Balneario Camboriu foi uma delas. Aqui os pedestres têm a preferência absoluta nas faixas – e para cruzar a Avenida Atlântica, o respeito aos pedestres é cumprido inclusive fora das faixas e, assim, Balneario Camboriu tem uma temporada tranquila.

    *Membro da Academia Douradense de Letras; foi vereador, secretário do Estado e deputado federal. (wguerra@terra.com.br)


    Imprimir