Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    13/12/2017

    Retrospectiva 2017 do secretário de planejamento e finanças aponta melhorias na Prefeitura de Campo Grande

    © Reprodução/Vídeo
    Em entrevista exclusiva à Rádio Diamante FM, ao programa A Bronca do Eli, do jornalista Eli Sousa, Secretário de Planejamento e Finanças, Pedro Pedrossian Neto, destaca trabalho realizado pela Prefeitura Municipal de Campo Grande para organização e reestruturação do município durante o ano de 2017.

    “Quando assumimos, junto ao prefeito Marquinhos Trad, mostramos a real situação da prefeitura à população, através da imprensa e da Câmara Municipal. Durante a primeira audiência que realizamos no início de ano, chamamos de ‘a travessia do deserto’, pois o ano de 2017 seria muito difícil, sujeito a muitas pressões e a um estresse financeiro considerável. Em março, que é um mês normal, diferente de janeiro e fevereiro que entra IPTU muito forte, então não é parâmetro para isso e a despesa também é atípica. Durante o mês de março encontramos a prefeitura com um déficit de R$ 38 milhões de reais. Apurou a receita, a despesa e essa era maior”.

    Segundo Pedro Pedrossian Neto, “pegamos a prefeitura com um cenário muito complicado e se não tivéssemos feito uma correção desses déficits, quebraríamos no meio do ano. Tivemos que cortar várias vantagens dos comissionados, começaram auditorias de folhas, renegociamos pagamentos de prestadores de serviços, alongamos as dívidas. Fizemos um trabalho muito forte ao lado da receita, pois existe uma cultura muito forte de inadimplência em Campo Grande”.

    “Em outubro tivemos um superávit pequeno de cerca de R$ 5 milhões, porém simbólico. O que foi uma salvação, de um lado o Refis foi um grande sucesso, o melhor desconto da última década, com 90% de desconto em outubro e 85% de desconto em novembro. Agora com a semana de conciliação, que acontece esta semana, pode renegociar ou quitar as suas dívidas, uma iniciativa junto ao Tribunal de Justiça”, destaca.

    Sobre a Reforma da Previdência, Pedro Pedrossian Neto diz que “No ano de 2017 quem era o gestor que não apontou os problemas da previdência no Mato Grosso do Sul. A reforma da previdência do município diz respeito aos servidores estáveis concursados. Houve nos últimos anos uma explosão dos servidores aposentados e inativos. Quem entrou no serviço público há 40 anos atrás, mais ou menos na época da criação do Mato Grosso do Sul, está se aposentando hoje. Neste ano foram 450 novas aposentadorias, o déficit mensal é de cerca R$ 11 milhões do Instituto Municipal de Previdência de Campo Grande (IMPCG), são 11% dos ativos, mais 14% da prefeitura, o que atinge 25%, onde 4 ativos mantém 1 inativo, hoje são 4.700 mil inativos se continuar nesse ritmo, em 10 anos irá dobrar a quantidade de aposentados. Com essa contribuição é impossível sustentar, para que as pessoas não fiquem sem a sua aposentadoria, o tesouro municipal tem que pegar recursos do orçamento para manter essas aposentadorias. Esperamos muito tempo o que viria de Brasília, não saiu a reforma total lá, porém saiu a mudança de alíquota dos servidores, a qual elevou de 11% para 14% para servidores que ganham acima do teto do INSS que é de R$5 mil e 300, quem ganha abaixo desse valor não foi afetado”, enfatiza Pedro Pedrossian.

    Com relação a expectativa do IPTU para 2018, “o prefeito não quis que elevássemos o IPTU acima da inflação, fizemos um decreto agora, onde foi colocado o aumento de 2, 56% que é relativo ao IPCAE que é o indicador que norteia todos os reajustes. A expectativa é que o crescimento seja de cerca de 5% durante o mês de janeiro, o que em valores chega a R$180 milhões de arrecadação”, diz secretário de Planejamento e Finanças.

    A inadimplência é visível e a busca pela adimplência tem uma série de benefícios oferecidos pela Prefeitura Municipal de Campo Grande, “quem quer pagar em dia, consegue 20% de desconto no IPTU para quem paga no dia 10 de janeiro, 10% para quem paga no dia 10 de fevereiro e 5% para quem paga em Março. Se você passou nos últimos 4 anos pagando em dia, você tem o IPTU Azul que ganha mais 10% de desconto, quem paga em dia também, vai para o sistema e pode concorrer a prêmios. Teremos viagem para Costa do Sauípe, carros, microondas, computador, entre outras coisas”, destaca Pedro Pedrossian Neto.

    Com relação às obras de desenvolvimento de Campo Grande, “tínhamos os projetos, porém não tínhamos a contrapartida, fizemos um acordo com o governo do estado, chamado ‘Juntos por Campo Grande’, eles entram com a contrapartida e nós entramos com o projeto. Governo do Estado está entrando com cerca de R$ 200 milhões de reais, recursos do tempo do PAC, da Dilma, do Lula. Tínhamos recursos travados porque não tínhamos o dinheiro da contrapartida para depositar”.

    “Reviva Centro irá mudar toda a fachada do centro da cidade, entre elas a rua 14 de julho e entornos. Além destes, estamos buscando restaurar recursos para a educação, saúde, falando sempre com os deputados e senadores, para destravar recursos em Brasília. Não é o maior pacote de obras possível, mas aquilo que é possível destravar neste momento. A população pode esperar que vem muita novidade por aí, através da prefeitura”, conclui secretário Pedro Pedrossian Neto.

    Fonte: ImpacoMS
    Por: Flavia Andrade


    Imprimir

    RECENTES

    POLÍTICA

    CONCURSOS