Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    19/01/2019

    Marceneiro tenta matar dois colegas de trabalho a golpes de foice em carvoaria da Capital

    Suspeito teve que ser amarrado até a chegada da PM

    ©ILUSTRAÇÃO
    Um marceneiro de 54 anos foi preso em flagrante na manhã deste sábado (19) após tentar matar dois colegas de trabalho, de 31 e 56 anos de idade, a golpes de foice. O crime aconteceu em uma carvoaria localizada na MS-060, área rural de Campo Grande.

    Nas informações do boletim de ocorrência constam que o suspeito teria surpreendido uma das vítimas, de 31 anos, logo pela manhã. Quando abriu a porta do quarto em que dormia, a vítima viu que seria atingido pela foice e colocou a mão para se defender.

    O suspeito atingiu a vítima, que conseguiu pegar a faca, jogá-la longe e fugir. Ao tentar conter o marceneiro, outra vítima, de 56 anos também foi atingida pela foice. Outros trabalhadores contiveram o marceneiro e o amarraram até a chegada da polícia.

    Suposta motivação

    A vítima de 31 anos informou à Polícia Militar que nesta sexta-feira (18) teria solicitado que um encarregado buscasse com o suspeito, um caminhão da carvoaria e em seguida lhe repassasse para prosseguir com o carregamento de lenha.

    À noite, todos teriam ingerido bebida alcoólica, mas a vítima afirma que ao cumprimentar o suspeito percebeu na resposta que havia algo de errado. Já, pela manhã deste sábado, foi surpreendido pelo homem com a foice. A vítima acredita que o crime foi motivado por conta do repasse do caminhão que pertence a empresa.

    O trabalhador de 31 anos foi encaminhada para o Upa Universitário e de lá, transferido para a Santa Casa de Campo Grande devido a gravidade dos ferimentos. O homem foi atingido no crânio e teve diversos ferimentos pelo corpo, com exposição de osso, fratura e perda de tecido.

    A outra vítima de 56 anos que tentou conter o marceneiro foi atingida na região do abdômen e também foi encaminhada para Santa Casa. A Polícia Militar apreendeu a foice utilizada no crime.

    Fonte: Midiamax
    Por: Dayene Paz



    Imprimir