Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    30/01/2019

    Cassems abre programa de residência em pediatria e medicina intensiva

    ©DIVULGAÇÃO
    O projeto Escola Cassems trouxe para o Hospital de Campo Grande seis residentes, quatro em Pediatria e dois em Medicina Intensiva. De acordo com a diretora de Assistência à Saúde da Caixa dos Servidores, Maria Auxiliadora Budib, o principal benefício alcançado com a residência é a melhoria da qualidade assistencial. “Um médico qualificado vai fazer um diagnóstico melhor. Para o paciente vai ser positivo e para a empresa também, pois o trabalho será feito com sustentabilidade”.

    Dentre os objetivos da Escola, está a interiorização da residência para que o profissional tenha a prática não só no Hospital de Campo Grande, mas também em outras unidades hospitalares Cassems. “O beneficiário vai ser apresentado para este residente, que terá autonomia. Residente não é um estagiário, é médico, tem CRM e responde por isso”. Também, haverá um médico preceptor, com especialização e carreira acadêmica para supervisionar este trabalho.

    O processo seletivo para a candidatura dos profissionais não foi realizado pela Cassems e o corpo clínico, a diretoria ou os conselhos da instituição não tiveram acesso às provas. A Associação Médica do Rio Grande do Sul (AMRIGS), referência em aplicação de provas, foi responsável pelo procedimento. A Caixa dos Servidores selecionou os critérios para receber médicos qualificados e a AMRIGS procedeu com transparência. O processo seletivo foi realizado em duas fases.

    Maria Auxiliadora explica ainda que os maiores desafios da Escola Cassems são o seu crescimento e a fidelização do residente. “Vamos trabalhar para que os médicos queiram ir para o interior, ficar em Mato Grosso do Sul, exercer com excelência e qualidade a sua profissão”. A equipe de residentes começa a operar na Caixa dos Servidores em março e, no próximo ano, o projeto receberá ampliação com Anestesiologia Clínica e Cirúrgica.

    ASSECOM