Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    23/01/2019

    Bolsonaro cancela repentinamente entrevista coletiva em Davos

    A equipe do Fórum Econômico Mundial foi pega de surpresa

    ©Alan Santos/PR 
    O presidente Jair Bolsonaro (PSL) decidiu cancelar uma entrevista coletiva que concederia a jornalistas em Davos, no Fórum Econômico Mundial, 40 minutos antes de ela acontecer nesta quarta-feira (23).

    A equipe do Fórum foi pega de surpresa. Bolsonaro se reuniu com o presidente da Suíça, Ueli Mauer, e com o ex-premiê britânico, Tony Blair, após almoçar com investidores e apresentar os prospectos para o Brasil.

    Repentinamente, porém, ele tomou o caminho de volta a seu hotel em vez de se dirigir ao centro de imprensa, onde faria um pronunciamento seguido de entrevista coletiva com os ministros Paulo Guedes (Economia) e Sergio Moro (Justiça).

    O Itamaraty confirmou o cancelamento, mas afirmou que não saber a causa.

    O Fórum ainda tentava entender o ocorrido. O local para a primeira conversa do presidente com a imprensa brasileira já estava preparado.

    Na manhã desta quarta, Bolsonaro declarou em entrevista a agência Bloomberg que caso seu filho Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), deputado estadual e senador eleito, fosse culpado no caso envolvendo movimentações atípicas em sua conta, ele pagaria por isso.

    Desde então, os jornalistas brasileiros têm insistido em perguntas sobre o caso ao presidente, que responde apenas com silêncio.

    A assessoria de comunicação do presidente tentou organizar uma declaração antes do encontro bilateral com o premiê italiano, Giuseppe Conte, mas o brasileiro se recusou, alegando falta de tempo.

    É incomum que um chefe de Estado ou governo não dê nenhuma entrevista coletiva em Davos, visto como uma vitrine mundial para investidores. 

    NAOM-Com informações da Folhapress.



    Imprimir