Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    07/12/2018

    Ensino fundamental vai ser desativado gradativamente na rede estadual

    Escolas estaduais devem encerrar classes do 1º ao 5º ano. Secretária afirma que mudança cumpre legislação federal

    ©DIVULGAÇÃO
    A SED (Secretaria Estadual de Educação) finaliza, de forma gradativa, a oferta de turmas do fundamental 1, do primeiro ao quinto ano, nas escolas 365 escolas estaduais de Mato Grosso do Sul. O plano, de acordo com a secretária Maria Cecilia Amendola da Motta, é que o município fique responsável pelas turmas de educação infantil e fundamental 1, conforme prevê a LDB (Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional).

    “Agora estamos fazendo mais ostensivamente, porque tem um currículo novo que foi aprovado que foi construído, entregue na Assomasul. A gente quer fazer a formação junto com o município, o Estado tem a responsabilidade das políticas públicas do ensino infantil e das séries iniciais, mas quem operacionaliza é o município. Então é o regime de colaboração entre União, Estado e Município”, comentou.

    A secretária afirma que o novo ordenamento tem objetivo de otimizar a educação. “Esse reordenamento é para otimizar mesmo, é muito difícil uma escola que tenha fundamental 1, 2, ensino médio, crianças com 6 anos, adolescente com 16 anos, então esse reordenamento vem para facilitar todo o encaminhamento pedagógico para a escola”, explica.

    Segundo a secretária, as mudanças, além de cumprir com determinação federal, acompanha as mudanças na estrutura das famílias. O Estado também deve “otimizar recursos” com a mudança.

    “Eu acho que se a gente olhar o mapa da população, está diminuindo, a família tem um filho e meio por família, o número de alunos está diminuindo, então vamos otimizar recursos, mas o foco não é otimizar recurso”, comentou.

    Escolas em tempo integral – Por meio da assessoria de imprensa, a Semed (Secretaria Municipal de Educação) afirma que o plano Municipal de Educação de Campo Grande tem como meta a oferta de educação em tempo integral na educação básica.

    “Tendo em vista, a expansão das escolas em tempo integral na Rede Municipal de Ensino para os próximos anos letivos, no momento, estão sendo realizados estudos de escolas que possuem condições imediatas de infraestrutura para adequação ao currículo em tempo integral, bem como número adequado de alunos”, afirmou por meio da assessoria de imprensa.

    A Semed afirma que após os estudos, os pais serão comunicados sobre o processo de implementação das escolas em tempo integral. Conforme a pasta, as transferências poderão ocorrer a partir do próximo ano letivo e para atendimento às concepções da escola em tempo integral.

    Fonte: campograndenews
    Por: Izabela Sanchez



    Imprimir