Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    12/12/2018

    Agro em ascensão: Renda agropecuária de Mato Grosso do Sul deve subir aproximadamente 5%

    Em coletiva de imprensa realizada na Famasul, Saito destacou o desempenho do agro em 2018

    ©DIVULGAÇÃO
    O VBP – Valor Bruto de Produção deve aumentar aproximadamente 5% em 2019. A previsão foi anunciada, nessa quarta-feira (12), pelo presidente do Sistema Famasul – Federação da Agricultura e Pecuária de MS, Mauricio Saito, durante a coletiva de imprensa realizada na sede da Casa Rural.

    Segundo Saito, a renda agropecuária deve fechar o ano em 32 bilhões de reais, alcançando os patamares de R$ 33,6 bilhões no próximo ano. “Os indicadores mostram a evolução do setor que diariamente tem apresentado resultados interessantes, como uma produção diária de 26,6 mil toneladas de soja, 18 mil toneladas de milho e 130 mil toneladas de cana-de-açúcar”.

    Saito apresentou o desempenho diário do agro para reforçar a movimentação do setor e o impacto na sociedade. “Diariamente nossa produção de carne bovina é de 2,3 mil toneladas, são 491 toneladas de carne suína, 1,1 mil toneladas de carne de aves e 528 mil litros de leite. Todos os dias, obtemos uma receita média de 15,4 milhões de dólares com as exportações do agro”.

    Enfatizando o impacto social da agropecuária, o presidente da Federação reforçou: “O setor gera mais de 250 postos de trabalho ao mês”. Segundo a Federação, os três principais produtos exportados de janeiro a outubro deste ano foram relacionados ao complexo soja, produtos florestais e carnes, seguido pelo complexo sucroenergético, cereais, farinhas e preparações.

    Senar/MS – “38,7 mil pessoas participaram dos cursos do Senar/MS em 2018, o que equivale a 3 mil pessoas ao mês. Todos os dias, mais de 100 pessoas podem ter suas vidas transformadas por um curso da instituição”, destacou Saito.

    Em seguida, o superintendente do Senar/MS – Serviço de Aprendizagem Rural, Lucas Galvan, apresentou os resultados das ações e programas desenvolvidos pela instituição. “A melhor forma de beneficiar a sociedade é contribuir para o incremento do uso de tecnologias no campo com a finalidade de aumentar a produtividade, pois este conjunto de fatores contribui, por exemplo, para a redução do valor da cesta básica”.

    Na área de prevenção à saúde, Galvan destacou que as iniciativas Saúde do Homem e da Mulher Rural e o Pingo D’Àgua, beneficiaram mais de 14 mil pessoas. Já o Agrinho, maior programa de responsabilidade social, envolveu mais de 200 mil crianças em todo o estado. Com mais de 100 mil horas de atendimento ao produtor, a ATeG registrou um faturamento das comercializações do setor acima de R$ 50 milhões em 2018. Além disso, o superintendente do Senar/MS destacou os cursos de educação formal da instituição: Curso Técnico em Agronegócio e Curso Técnico em Agropecuária.

    “A tecnologia, aplicada no campo por intermédio dos cursos do Senar/MS, reverte em melhorias no meio ambiente”, finalizou Galvan.
    Também participaram da coletiva de imprensa o vice-presidente do Sistema Famasul, Luis Alberto Moraes Novaes; o diretor tesoureiro, Marcelo Bertoni; o diretor secretário, Frederico Stella, a diretora técnica, Mariana Urt e o diretor executivo da Aprosoja/MS, Frederico Azevedo.

    Fonte: Assessoria de Comunicação do Sistema Famasul



    Imprimir