Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    22/11/2018

    Ação contra pornografia infantil leva técnico em laboratório para delegacia

    Na casa dele, foram apreendidos notebook, celular e pendrive. A polícia cumpre, no total, seis mandados de busca e apreensão

    Técnico foi levado à delegacia para prestar esclarecimentos ©Henrique Kawaminami
    Técnico de laboratório de 37 anos, que ainda não teve o nome divulgado, foi levado à Depca (Delegacia Especializada de Proteção a Criança e ao adolescente) para prestar esclarecimento durante a Operação Luz na Infância 3. Na casa dele, foram apreendidos notebook, celular e pendrive. A polícia cumpre, no total, seis mandados de busca e apreensão, na Capital e no interior do Estado.

    A DEH (Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes de Homicídios), em apoio à operação, ficou encarregada de cumprir dois mandados de busca e apreensão no Bairro Indubrasil. Segundo o delegado Carlos Delano, o técnico foi levado para depor porque seria um dos cabeças.

    Segundo a delegada Marília de Brito Martins, da Depca (Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente), são realizadas buscas por materiais de pornografia infantil em seis endereços ligados aos suspeitos, quatro deles na Capital. As ações acontecem simultaneamente em 18 estados brasileiros e no Distrito Federal. Ao todo são 69 mandados de busca e apreensão, que visam prisões em flagrante por armazenamento de pornografia infantil.

    Essa é a terceira fase da operação. A primeira aconteceu em outubro de 2017 no Estado resultou na prisão de duas pessoas, um advogado e um vendedor. Em maio, uma nova ação cumpriu nove mandados de busca e apreensão e terminou com quatro prisões em Campo Grande - entre elas a do policial civil Paulo Manoel Eugênio Elesbão Silva, 36 anos - e outras três em Dourados, Glória de Dourados e Naviraí.

    Fonte: campograndenews
    por: Viviane Oliveira e Bruna Pasche



    Imprimir