Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    17/10/2018

    Morre piloto brasileiro alvejado a tiros de fuzil na fronteira

    Mauro Alberto Parra Espíndola não resistiu aos ferimentos provocados por tiros de fuzil 7,62; em 2005 ele tinha sido preso no Paraguai acusado de ligação com o traficante Beira-Mar

    Mauro morreu menos de três horas após sofrer atentado em Pedro Juan Caballero ©Reprodução 
    Morreu há pouco em um hospital particular o piloto brasileiro Mauro Alberto Parra Espíndola, 58, vítima de atentado a tiros de fuzil por volta de meio-dia desta quarta-feira (17) em Pedro Juan Caballero, cidade paraguaia vizinha de Ponta Porã (MS), a 323 km de Campo Grande.

    Chamado de “narcopiloto” na fronteira, por ser suspeito de trabalhar para grandes traficantes que atuam na Linha Internacional, Mauro chegou a ser preso no Paraguai em 2005 e extraditado para o Brasil, acusado de ligações com o narcotraficante carioca Luiz Fernando da Costa, o Fernandinho Beira-Mar.

    Imagens de câmeras de segurança instaladas na Avenida Mariscal Lopez, no centro de Pedro Juan Caballero, mostram o momento em que uma SUV branca emparelha com a caminhonete Ford Ranger de Mauro e os ocupantes disparam vários tiros de fuzil. 
    ©poranews
    Apesar de a Ranger ser blindada, alguns os projéteis de 7,62 perfuraram a lataria e os vidros e atingiram o brasileiro. Em seguida a caminhonete dele bateu na traseira de outro veículo enquanto o carro dos pistoleiros deixava o local.

    Mauro foi socorrido com vida. Vídeos gravados quando era foi retirado da cabine mostravam que o braço direito do brasileiro tinha sido dilacerado pelos tiros.

    Um parente de Mauro Espíndola disse logo após o atentado, que o estado dele era grave e que o braço esquerdo tinha sido amputado. Menos de duas horas depois, no entanto, o familiar confirmou a morte.







    Fonte: campograndenews
    Por: Helio de Freitas, de Dourados


    Imprimir