Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    25/10/2018

    Dois suspeitos de executar comerciante brasileiro são presos na fronteira

    Os dois moradores da Paraíba foram encontrados nesta manhã em uma casa na Colônia Fortuna Guazu, em Pedro Juan

    Os dois paraibanos presos nesta manhã suspeitos de ligação com crimes de pistolagem ©Porã News
    Os brasileiros Gilson Carlos Ferreira de Farias, 41, e Gildevan Pereira Lucena, 39, foram presos na manhã de hoje (25) em Pedro Juan Caballero, cidade vizinha de Ponta Porã (MS), a 323 km de Campo Grande. Eles são suspeitos de ligação no assassinato do comerciante brasileiro Paulo Dionizio Ribeiro, 55, ocorrido na tarde de sexta-feira (19), em Pedro Juan Caballero.

    O cidadão paraguaio Virgílio González Gómez também foi preso, mas a polícia ainda não informou se ele também é suspeito de crimes de pistolagem.

    A prisão foi feita por agentes antinarcóticos da Polícia Nacional em casas de luxo na Colônia Fortuna Guazu. Segundo o comissário Baldomero George, vários colchões foram encontrados nas casas, indicando que os locais eram usados como refúgio de membros de uma das facções criminosas que atuam na fronteira.

    Em uma das casas foram encontradas uma pistola Clock 9 milímetros, cocaína e uma caminhonete Mitsubishi Triton.

    Gilson é da cidade de Paulista e Gidelvan de Pombal, as duas cidades do Estado da Paraíba. Segundo os policiais, eles não souberam explicar os motivos de estarem na fronteira com o Paraguai e foram presos.

    Execução 

    Paulinho Ribeiro era dono de um campo de futebol e da cafeteria e restaurante Miel & Canelas, localizada na área central de Pedro Juan.

    Na tarde de sexta-feira, ele tinha acabado de chegar em casa em uma caminhonete Mazda com placa do Paraguai quando recebeu uma ligação no celular e saiu para a frente da casa.

    Enquanto falava ao celular na calçada, Paulinho foi alvejado a tiros de pistola 9 milímetros disparados por dois pistoleiros de moto e morreu na hora. Amigos do brasileiro afirmam que ele sofria ameaças, já que recentemente contratou seguranças particulares.
    Policiais da Senad na casa onde três suspeitos de pistolagem foram presos ©Porã News

    Fonte: campograndenews
    Por: Helio de Freitas, de Dourados



    Imprimir