Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    17/08/2018

    Coluna do Roberto Costa


    OUVIDO ATENTO – A partir da liberação da campanha política dia 16 de agosto, o eleitor precisa estar atento ao teor da mensagem de cada um dos candidatos. Cuidado com os ‘mercadores de ilusão’. 

    PATRIMÔNIO – Responda com sinceridade: você realmente acredita que o patrimônio de Geraldo Alckmin, candidato do PSDB à presidência da República, seja de pouco mais de 1,3 milhão? 

    TRANSPARENTE – O ex-ministro e candidato a presidente da República pelo MDB, Luiz Henrique Meirelles, registrou um patrimônio de aproximadamente 400 milhões de reais, Foi sincero! 

    POUPANÇA - O inelegível Luiz Inácio Lula da Silva, impulsionado pela militância petista à presidência da República, declarou uma economia de pouco mais de 7 milhões de reais. 

    SAL DE FRUTA - A maioria dos emedebistas engoliu, mas ainda não digeriu por completo a justificativa da senadora Simone Tebet para desistir de representar o partido na disputa pelo Governo do Estado. 

    PANTOPRAZOL – Para acalmar o ‘esôfago’ dos partidários do MDB, o presidente da Assembleia Legislativa, Osvaldo Mochi Júnior, chamou para si a responsabilidade de zelar pela saúde do partido. 

    AJUDA – A cirurgiã-dentista e especialista em assistência social, Tânia Mara Garib, aceitou o convite para compor com Júnior Mochi o projeto de retomada do comando administrativo estadual, como candidato a vice. 

    NO TOPO – O governador e candidato à reeleição pelo PSDB, Reinaldo Azambuja, passou a capitalizar novos e importantes apoio a partir do momento em que passou a liderar a corrida sucessória. 

    DÚVIDA – José Orcírio Miranda dos Santos (Zeca do PT) e Alcides de Jesus Peralta Bernal (PP), candidatos ao Senado e à Câmara Federal, respectivamente, estão ou não inelegíveis? 

    ABOMINÁVEL – O juiz aposentado e candidato a governador pelo PDT, Odilon de Oliveira, além de repudiar a corrupção, também tem ojeriza da covardia daqueles que ‘olham para o próprio umbigo’. 

    TEMERIDADE – Os entendidos em política, uma vez que André Puccinelli sequer foi julgado e condenado, ainda não ganhou a liberdade para não participar do pleito eleitoral. 
    O juiz não é nomeado para fazer favores com a justiça, mas para julgar segundo as leis”.  PLATÃO


    Imprimir