Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    10/07/2018

    André quer retomar parcerias esquecidas e bons índices de saúde em MS

    ©Divulgação
    A piora nos atendimentos de saúde em Mato Grosso do Sul despontam entre as principais queixas apresentadas pela população no Programa MS Maior e Melhor. “Para melhorar a saúde temos que pensar no futuro, no trabalho em conjunto com a União e com os municípios, sem mistificações como as caravanas, que fazem muito barulho e dão pouco resultado”, declara o ex-governador e pré-candidato do MDB ao governo do Estado, André Puccinelli.

    “Por onde temos andado, encontro muita expectativa quanto a uma melhora na saúde pública. As entidades, os hospitais e os segmentos mais envolvidos na questão sentem falta dos recursos que eram liberados e que ajudavam muito no atendimento”, destaca o ex-governador.

    Durante o governo de André Puccinelli, seis novos hospitais foram construídos e as prefeituras receberam 650% a mais em recursos próprios do Estado distribuídos para os municípios. Antes de André, os municípios receberam R$ 16,191 milhões de recursos estaduais, valor que passou para R$ 121,3 milhões em 2013, por exemplo.

    Também foi na gestão de André que Mato Grosso do Sul deu início à regionalização da saúde, com investimentos direcionados aos 18 hospitais de referência micro e macrorregional, além de ser o primeiro estado brasileiro a firmar o Pacto pela Saúde entre o Estado e 100% dos municípios.

    “Nossa primeira tarefa foi o fortalecimento da atenção primária em saúde, depois organizamos os serviços em rede, com seis novos hospitais, fortalecendo a gestão regional e o controle social. Vamos fazer Mato Grosso do Sul voltar a ser aquele Estado dinâmico, onde as coisas funcionam”, finalizou o pré-candidato.

    Veja abaixo:

    Ponta Porã – o hospital foi reconstruído com recursos próprios do Estado e do Governo Federal. O centro cirúrgico e as UTI (Unidades de Terapia Intensiva), com recursos do Banco Mundial - Quali Sus.

    Nova Andradina e Coxim – hospitais construídos e equipados com recursos estaduais. O Estado passou a co-financiar os hospitais através de contratos firmados com todos os municípios das microrregiões.

    Naviraí – o pronto socorro do hospital foi reformado com recursos de emenda parlamentar federal e recursos estaduais para aquisição de equipamentos.

    Hospital Evangélico de Dourados – financiamento estadual para conclusão do setor de oncologia, bem como serviço de hemodiálise.

    Três Lagoas e Corumbá – hospitais mantidos por anos com recursos estaduais

    O Programa de Agentes Comunitários de Saúde alcançou 100% dos municípios, com 4.508 agentes atendendo 93,13% da população, por meio de 511 equipes no Programa de Saúde da Família.

    ASSECOM


    Imprimir

    RECENTES

    POLÍTICA

    CONCURSOS