Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    22/05/2018

    Viúva pede justiça após "estranha" assassinar marido no meio da rua

    Caso aconteceu na noite de ontem no cruzamento das ruas Josino da Cunha Viana com João Carrato, perto do centro de Três Lagoas

    Camilo de Freitas da Silva (Foto: Arquivo Pessoal)
    Camilo de Freitas da Silva, 28, vendedor, foi assassinado no domingo (20) por uma “estranha” que passava pelo local onde ele brigava com a esposa, em Três Lagoas – a 338 quilômetros de Campo Grande. À rádio Caçula, a viúva de Camilo, Larissa Laís de Souza Fontoura, 23, declarou que ela “destruiu sua família”.

    “Quero justiça”, afirmou. O vendedor Camilo de Freitas da Silva brigava com a esposa quando uma estranha que passava pelo lugar o golpeou na tentativa de defender a mulher dele.

    Em entrevista à rádio, Larissa relatou que voltava para a casa com o marido quando iniciaram a discussão dentro do carro. O motivo, segundo ela, seria que Larissa queria dirigir o veículo. Conforme a rádio, quando encostaram o carro e desceram do veículo quando a mulher, identificada como Joice Espindola da Silva, viu e começou a gritar com a vítima.

    Conforme explicou a viúva, Camilo se irritou e pediu para que Joice não se intrometesse na briga. Foi então que mulher, uma cabeleireira, pegou uma faca para agredir Camilo. Segundo Larissa, ela correu gritou para que não matassem o marido. Joice, no entanto, teria imobilizado Camilo e deu uma facada em seu peito.

    Segundo o JPNews, Joice estava acompanhada de um adolescente de 16 anos, que também teria agredido o vendedor. O adolescente teria auxiliado a estancar o ferimento, mas a vítima morreu no local. Na sequência a mulher fugiu. O adolescente prestou depoimento à polícia e foi liberado.

    Conforme a rádio, a cabeleireira deveria ter se apresentado na primeira Delegacia de Polícia Civil nesta segunda-feira (21), mas continua foragida. Os advogados da acusada, afirma a rádio, reuniram-se com o delegado Messias Pires na segunda-feira e nas e durante a manhã desta terça-feira (22) voltaram à delegacia para negociar os termos de entrega da suspeita.

    Fonte: campograndenews
    Po: Izabela Sanchez


    Imprimir