Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    24/05/2018

    JARDIM| Poder legislativo jardinense devolve subsidio de maio e chega a quase meio milhão de reais

    ©Paulo Abílio
    A Câmara Municipal de Jardim realizou na noite da última terça-feira, 22, durante a sua 13ª Sessão Ordinária, a devolução de 25 mil reais referente as economias feita pela Casa de Leis Jardinense, durante o mês de maio, totalizando R$ 125.000,00 que já retornaram aos cofres públicos em 2018. A secretária de Saúde, Marcelly Freitas Trindade, prestigiou a reunião legislativa e representou o executivo municipal, recebendo o cheque das mãos dos parlamentares. 

    Desde janeiro de 2017, o poder legislativo jardinense já devolveu à prefeitura municipal um total de 465.206,60, economia feita pela Casa de Leis e que vem contribuindo com pagamento de algumas dívidas deixadas pela administração anterior, entre eles, com o Hospital Marechal Rondon. 

    “Estamos chegando em meio milhão de reais de economia e devolvendo mensalmente aos cofres públicos. A parceria e o apoio dos nossos pares tem sido de extrema importância, pois dessa maneira temos visto um resultado de união e cuidado com o dinheiro do contribuinte”, destacou a mesa diretora legislativa. 

    Em nota, o prefeito Guilherme Monteiro (PSDB) agradeceu o empenho e a transparência da Casa de Leis com o uso do dinheiro público. “Desde janeiro de 2017, quando assumimos o executivo, a Câmara de Jardim tem feito um repasse de 25 mil reais mensais, resultados de uma economia feita pela atual gestão, em parceria com todos os vereadores. A ação desta devolução tem sido de grande importância e comprometimento dos nossos legisladores, com as contenções feitas durante o nosso mandato, contribuindo dessa maneira para quitar gastos em algumas secretarias”, enfatizou Monteiro. 

    A Câmara de Vereadores de Jardim é composta por 11 vereadores e por servidores efetivos e comissionados. 

    Segundo o Tribunal de Contas, “havendo sobra de recurso financeiro, depois de atendidas todas as despesas, a Câmara deverá efetuar a devolução ao Poder Executivo, dentro do exercício financeiro em que ocorrer, e sendo assim, o duodécimo que for devolvido deixa de fazer parte do orçamento da Casa de Leis e passa a integrar o caixa único do Município, sob a gestão e responsabilidade do Chefe do Poder Executivo”. 

    Por: Paulo Abílio


    Imprimir

    RECENTES

    POLÍTICA

    CONCURSOS