Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    23/05/2018

    Corumbá e Coxim recebem atendimento com o ‘Cassems Itinerante’ neste fim de semana

    ©Divulgação
    O programa de assistência à saúde “Cassems Itinerante” leva atendimento especializado até Corumbá e Coxim, no próximo fim de semana. O programa tem como objetivo principal amenizar as dificuldades encontradas pela população do interior do Estado no acesso à medicina especializada, nos locais onde não há disponibilidade desses serviços na Rede Própria ou na Credenciada. A psiquiatra Letícia de Souza atende em Corumbá na sexta-feira (25) e no sábado (26), também no sábado, a nutricionista Melissa de Andrade atende no município. Coxim recebe a endocrinologista Ana Xavier e a dermatologista Vanessa Cervelin, no sábado (26).

    Para o beneficiário Gílson dos Santos Gonçalves, que foi atendido em Corumbá, o serviço que a Caixa dos Servidores oferece “facilita bastante porque a gente não precisa se deslocar quatrocentos e poucos quilômetros até Campo Grande”.

    A psiquiatra Letícia de Souza atende no programa e, para ela, o “Cassems Itinerante” oferece um acolhimento multidisciplinar ao paciente. “Com o ‘Cassems Itinerante’, a Cassems abraçou a população de Corumbá e essa população se sente acolhida. Isso é muito bom porque o programa agrega vários profissionais, além da psiquiatra, temos a assistente social, a enfermeira, e acho que para o paciente está sendo bem interessante ser acolhido por essa equipe”, conta.

    A beneficiária Joaninha Luzia Arruda, também de Corumbá, destaca que a maior vantagem que o programa oferece é trazer especialistas até perto da sua casa. “Depois que o ‘Cassems Itinerante’ veio para cá melhorou muito para a gente, porque assim não precisamos mais gastar com deslocamento e hospedagem e, principalmente, pelo conforto de ser atendido na própria cidade”, aponta.

    Para a nutricionista Melissa de Andrade, que também atende pelo programa, os resultados obtidos com o “Cassems Itinerante” são muito bons. “A gente consegue um resultado bom porque os beneficiários começam a fazer atividades físicas, começam a controlar a alimentação e a perda de peso acontece. Eu tenho tido resultados muito positivos”, avalia.

    ASSECOM


    Imprimir