Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    12/04/2018

    PL do deputado Dr. Paulo Siufi inclui doadores de sangue em prioridade para vacinação contra gripe

    A inclusão dos doadores de sangue na gratuidade da vacinação visa estimular a população a se tornar doador habitual e desafogar os bancos de sangue no Estado

    ©Luciana Nassar
    Durante a sessão parlamentar desta quinta-feira, 12, o deputado estadual Dr. Paulo Siufi apresentou projeto de lei que inclui os doadores de sangue no rol de prioridade para vacinação contra o vírus H1N1 em Mato Grosso do Sul. O PL acrescenta o Artigo 5º na Lei Estadual 3.829/2009, que trata do assunto.

    De acordo com o deputado, que também é presidente da Comissão Permanente de Saúde da ALMS, a inclusão dos doadores de sangue na gratuidade da vacinação visa estimular a população a se tornar doador habitual. Para ter direito, o cidadão que se declarar doador deverá apresentar documento emitido pelo órgão competente (Hemosul ou Banco de Sangue da Santa Casa) comprovando o mínimo de três doações no período de um ano.

    “Temos que manter essa regra para que aquele que doa apenas uma vez e nunca mais volta não se beneficie de algo voltado para aqueles que realmente são doadores regulares”, explicou Dr. Paulo Siufi. Os doadores também receberão imunização contra o vírus H3N2, que é um subtipo do vírus da gripe que começa a afetar a população.

    “Os bancos de sangue em nosso Estado vivem no limite de sua capacidade. Os doadores habituais não podem fazê-lo quando estão gripados, o que aumenta esse déficit. Por isso, é preciso sempre realizar campanhas para que a população compareça e doe. É muito importante a conscientização e o incentivo”, justificou o deputado.

    Homens podem doar a cada dois meses e as mulheres, a cada três meses. No entanto, a quantidade de doações não pode ultrapassar quatro por ano. Uma bolsa de sangue pode salvar quatro vidas. Após análise e apreciação pela CCJR e demais comissões, a proposta será discutida e votada em Plenário.

    Fonte: ASSECOM
    Por: Adriana Viana
    Imprimir

    RECENTES

    POLÍTICA

    CONCURSOS