Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    23/03/2018

    TRÊS LAGOAS| Agentes Comunitários de Saúde do município participam de capacitação sobre tuberculose

    Doença possui tratamento e tem cura, mas preconceito e discriminação ainda existem

    © Divulgação 
    A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) de Três Lagoas, por meio do Programa Municipal de Controle da Tuberculose, coordenado pela enfermeira Sebastiana Garcia, desde o início deste mês, vem intensificando a campanha de orientações e prevenção da tuberculose, nas ações diárias de rotina de procedimentos.

    No entanto, para marcar o Dia Mundial de Combate à Tuberculose, a SMS promoveu dois dias de encontros de capacitação de Agentes Comunitários de Saúde (ACS), no auditório do Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos – SCFV do Centro de Referência de Assistência Social e Educacional – CRASE “Coração de Mãe”, na quarta-feira (21) e quinta-feira (22).

    O Dia Mundial de Combate à Tuberculose, a ser comemorado amanhã, no sábado (24), foi instituído pela Organização Mundial da Saúde (OMS), em 1982, na homenagem aos 100 anos do anúncio do descobrimento do bacilo causador da tuberculose (24 de março de 1882), pelo médico Robert Koch.
    © Divulgação 
    A capacitação dos Agentes Comunitários de Saúde das unidades de Estratégia de Saúde da Família (ESF) e das unidades de Estratégia de Agentes Comunitários de Saúde (EACS) ficou a cargo do médico pneumologista Michel Thomé, que presta serviços no Programa Municipal de Controle da Tuberculose, no Centro de Especialidades Médicas (CEM).

    “Junto com as informações específicas sobre a tuberculose, ou seja, o que é, como se contrai a doença, sinais e sintomas, como tratar e como prevenir, procuramos sempre orientar os Agentes de Saúde a lutarem contra o preconceito e a discriminação”, informou Michel Thomé.

    “A tuberculose tem cura, quando tratada corretamente. Mas, infelizmente, o preconceito e a discriminação ainda existem”, observou o médico pneumologista da SMS.

    Na oportunidade, os Agentes de Saúde receberam a visita do cantor sertanejo, de Três Lagoas, Fernando Amarílha. “Pela amizade que tem com a minha família, ele compôs uma música, especialmente dedicada à tuberculose e ao importante papel do Agente de Saúde no tratamento”, informou Michel Thomé.

    Conforme diz a letra da música, “a tuberculose me deixou desse jeito/e o que os Agentes falam é que o sintoma é bravo/Vamos agir para não virar um montão de caso/Tuberculose, viver assim não pode/Vocês Agentes são os anjos do céu/que eu admiro e tiro o chapéu”.

    PROGRAMA MUNICIPAL É REFERÊNCIA NO MS

    O Programa Municipal de Controle da Tuberculose da SMS de Três Lagoas é referência na Saúde do Estado de Mato Grosso do Sul (MS), que, “infelizmente, ainda ocupa o nono lugar no ranking nacional dos índices de novos casos de tuberculose, ou seja, possui 35 casos de tuberculose por 100 mil habitantes. No Brasil, o índice está em 33,7%.

    O Programa Municipal de Controle da Tuberculose, assim como o Programa Municipal de Controle da Hanseníase, estão instalados no Centro de Especialidades Médicas (CEM) da SMS.

    No entanto, “nossas ações são descentralizadas e a porta de entrada é sempre a Unidade de Atenção Básica de Saúde, as ESF e as EACS”, explicou Sebastiana.
    © Divulgação 
    “Por essa razão, a SMS de Três Lagoas tem a preocupação de manter sempre atualizadas as informações sobre a Tuberculose e Hanseníase, mantendo capacitação continuada dos Agentes de Saúde”, ressaltou a coordenadora.

    Em Três Lagoas, o índice atual é de 39% para cada 100 mil habitantes. Segundo estimativas do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE), a população de Três Lagoas é de 117 mil habitantes. Em 2016, tínhamos registro de 43 pessoas com tuberculose e em 2017 foram 44 casos.

    “Maioria desses casos é de trabalhadores vindos de outros Estados e atraídos pelo processo de industrialização que Três Lagoas vive”, comentou o médico Michel Thomé.

    Segundo estimativas da OMS, um terço da população mundial está infectada pelo “Mycobacterium tuberculosis” e em risco de desenvolver a doença. Há cerca de 8,8 milhões de doentes e 1,1 milhões de mortes por ano no Mundo.

    SINAIS E SINTOMAS

    Para acabar com os preconceitos e a discriminação, vale saber que a tuberculose não é transmitida pelo abraço, aperto de mão ou carinho. Também não é necessário separar as roupas, os pratos, os talheres e os copos usados por pessoas que possuem tuberculose.

    Os principais sintomas e sinais que a pessoa está com tuberculose são os seguintes: tosse e ou catarro que persistem por mais de três semanas; falta de apetite e ou emagrecimento rápido; febre baixa, geralmente no início da tarde; suores noturnos; e cansaço, dores no peito e falta de ar.

    “Se a pessoa tiver estes sintomas deve procurar a Unidade de Saúde mais próxima de sua casa para consulta do médico e tratamento”, orientou Michel Thomé.

    “A melhor forma de prevenir a transmissão da doença é fazer o diagnóstico precoce e iniciar o tratamento adequado o mais rápido possível, porque a tuberculose tem cura”, concluiu o médico pneumologista.

    Fonte: ASSECOM


    Imprimir

    RECENTES

    POLÍTICA

    CONCURSOS