Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    20/03/2018

    “Quem está na terra trabalhando e produzindo deve ser titulado”, defende Onevan

    Declaração ocorreu durante a entrega dos títulos de propriedade aos moradores do Assentamento Nossa Senhora Auxiliadora (Iguatemi) 

    © Divulgação
    O vice-presidente da Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul, deputado estadual Onevan de Matos (PSDB), defendeu, durante a solenidade de entrega dos títulos de propriedade aos moradores do Assentamento Nossa Senhora Auxiliadora, que todas as famílias que estão em lotes da reforma agrária e que estejam produzindo devem ser contempladas com o título de propriedade da terra. 

    Títulos de Propriedade – O Incra entregou os títulos de propriedade para 156 famílias de agricultores familiares do Assentamento Nossa Senhora Auxiliadora, localizado no município de Iguatemi, em solenidade ocorrida na última sexta-feira. 

    “Hoje é um grande dia e a principal razão são vocês, assentados, que lutaram e acreditaram. Eu defendo que todos aqueles que estão na terra, trabalhando, cultivando, devem ser titulados, pois, com o suor do trabalho, estão produzindo”, explanou o deputado estadual Onevan de Matos. 

    PA Nossa Senhora Auxiliadora – O assentamento, que reúne 252 famílias de agricultores familiares, foi criado em 23/12/1198, oriundo das áreas das Fazendas Guai-Cuê, Rancho Verdura II, Santa Terezinha, Nossa Senhora Aparecida, Guajuvira e Nossa Senhora Auxiliadora. 

    “Sou deputado desde a instalação do Estado e conheço e apoio a luta da população desta região, especialmente pela reforma agrária. Sou defensor da reforma agrária, desde os primeiros assentamentos em Sete Quedas e Mundo Novo”, encerrou o deputado estadual Onevan de Matos. 

    A solenidade de entrega dos títulos contou com a participação do superintendente regional do Incra, Humberto Cesar Mota Maciel, o diretor da Agraer, André Nogueira, a deputada federal Tereza Cristina da Costa, a prefeita Dra. Patrícia Margatto, vereadores e moradores do assentamento. 






    Fonte: ASSECOM
    Por: Fernando Ortega


    Imprimir

    RECENTES

    POLÍTICA

    CONCURSOS