Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    10/03/2018

    Para prefeitos e deputados aliados, Reinaldo é “única opção”

    Em encontro do PSDB em Ivinhema, lideranças do partido destacaram capacidade do atual governo de enfrentar a crise

    Reinaldo ao lado de Beto Pereira, Paulo Correa e Geraldo Resende, hoje em Ivinhema (Foto: Helio de Freitas)
    Por mais que o governador Reinaldo Azambuja tenha adotado cautela em lançar sua pré-candidatura no encontro regional do PSDB, hoje (10) em Ivinhema, – a 282 km de Campo Grande – lideranças do partido já tratam o projeto da reeleição como única opção da legenda em Mato Grosso do Sul.

    “A luta começa hoje aqui em Ivinhema. Começa engajando aqueles que acreditam nesse projeto que deu certo. A decisão é pessoal, mas precisamos do governador para conduzir esse estado por mais quatro anos. Essa decisão já está aqui endossada, o PSDB faz uma convocação para Reinaldo ser candidato”, afirmou o deputado estadual Beto Pereira, presidente do partido em MS.

    O prefeito de Ivinhema Eder Uilson França Lima (PSDB), o Tuta, considerou o encontro regional “o momento histórico da largada rumo à vitória” e “o pontapé para a reeleição”.

    Já o deputado estadual Felipe Orro (PSDB) disse que as melhorias feitas pelo atual governo credenciam Reinaldo a disputar a reeleição. “Foram 300 escolas reformadas e o estado tem o melhor salário de professor do Brasil. Proporcionalmente, é o estado que mais investiu em obras nos municípios, não atrasou um dia o salário dos servidores mesmo com a maior crise do país. Ninguém pode negar o que aconteceu em investimentos em três anos desse governo”.

    Paulo Correa, deputado estadual pelo PR, lembrou à militância tucana que o objetivo do encontro deste sábado era o pontapé inicial para a pré-campanha de reeleição.

    “Nós queremos reeleger o Reinaldo, isso é o que nos une hoje aqui em Ivinhema. O resto é conversa fiada. Precisamos mobilizar os prefeitos, temos de reeleger o governador, porque sem ele não temos projeto político”, afirmou Correa.

    Apoio do PTB – Citado pelo governador como pré-candidato ao Senado, o ex-prefeito de Campo Grande Nelsinho Trad, presidente estadual do PTB, disse que ninguém governa mais sozinho. “Temos que ouvir cada vez mais a população para acertar nas nossas ações. Todos aqui têm sonhos e aspirações, mas o que vemos é um governo sério que supera crises e mais crises”.

    “Governo sério e transparente, que está cumprindo os compromissos”, afirmou Onevan de Mattos (PSDB). Segundo ele, Reinaldo Azambuja ganhou status de municipalista por levar obras para todos os municípios. “Estamos na luta pela recondução do Reinaldo ao segundo mandato. Quem fala que ele não fez nada é porque não quer enxergar”.

    PSB – Secretário de Justiça e Segurança Pública até dezembro do ano passado, o deputado estadual José Carlos Barbosa (PSB), o Barbosinha, disse que seu partido já conversa internamente e “vai fazer de tudo” para caminhar com Reinaldo nas eleições deste ano.

    Outro deputado tucano a defender a candidatura à reeleição foi Rinaldo Modesto, líder do governo na Assembleia Legislativa. “Esse governo fez mais de 120 pontes de concreto, mais do que existia em 40 anos de história do estado. Aqui hoje é o primeiro passo para a caminhada para mais quatro anos de mandato e continuar fazendo de Mato Grosso do Sul um dos melhores lugares para se viver”.

    Para o deputado federal Geraldo Resende (PSDB), o encontro de hoje demonstra a força da militância tucana. “O desafio agora é a reeleição do Reinaldo. Esse governo teve coragem de fazer o ajuste fiscal, teve conquistas na área de saúde com hospitais sendo construídos e concluídos. Estradas há muitos anos abandonadas foram recuperadas”.

    A vice-governadora Rose Modesto repetiu a frase “governo sério e transparente”, adotado por quase todos os tucanos presentes ao encontro. “Não tem como mudar nada do dia pro outro. Esse discurso preocupa. Se andei 40 municípios em 2014, vou continuar andando os 79 defendendo o nome do Reinaldo e do governo”.

    Fonte: campograndenews
    Por: Helio de Freitas, enviado especial a Ivinhema


    Imprimir