Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    09/03/2018

    Dinapec 2018: correção de solo e manejo de pragas da soja são apresentados pela Fundação MS


    © Divulgação
    Problemas como a falta de manejo adequado de pragas e de correção do solo podem ocasionar em perda de produtividade na soja. De 60 a 70 sacas por hectare, a produtividade do grão pode cair pela metade em função desses dois grandes problemas que afetam a produção de grãos. A informação é da Fundação MS, repassada durante a 13ª edição da Dinapec, na apresentação de tecnologias voltadas para o cultivo da soja em áreas de pastagens degradadas no Estado. O primeiro dia de campo aconteceu no dia 8 de março e segue nesta sexta-feira (9), em Campo Grande, no evento promovido pela Embrapa Gado de Corte, em Campo Grande.

    No campo, há demonstrações de cultivares de soja, com o perfil de plantação em áreas de pastagens. “Em cada espaço temos as informações que os participantes podem utilizar para melhorar o rendimento em sua propriedade”, diz o pesquisador em fitotecnia de soja, André Ricardo Gome Bezerra. Ao todo são 32 cultivares, com características diferentes e que muitas delas apresentam boa performance diante das condições climáticas típicas da região.

    Durante o dia de campo, a Fundação MS apresenta técnicas para correção e manejo do solo e correção da fertilidade no perfil. Segundo o pesquisador de fertilidade e manejo do solo, Douglas Gitti, para o produtor rural que queira investir no sistema de integração lavoura-pecuária, começando pela cultura da soja, é preciso melhorar o solo em relação à acidez, correção de fósforo, potássio e enxofre. “Mostramos quais os fertilizantes utilizar e a quantidade correta para aplicação de acordo com cada deficiência”, explica. Com mostras de plantio com aplicação de diferentes quantidades de calcário, gesso e fósforo, os participantes conseguem visualizar os resultados. “Nas pastagens degradadas, por exemplo, um dos principais problemas é o baixo teor de fósforo”.

    O pesquisador de fitossanidade da Fundação MS, José Fernando Jurca Grigolli, aborda o manejo de diferentes pragas que atacam a soja, como a ferrugem asiática, uma das doenças mais severas ao grão, causando lesões foliares de coloração castanha a marrom-escura. As plantas são atacadas de forma agressiva, com desfolha precoce, comprometendo sua formação, o enchimento das vagens e o peso do grão. “O manejo precoce pode determinar o sucesso no combate”, diz o pesquisador. Outras doenças como mancha alvo e antracnose também precisam de manejo antecipado, são as que atacam com mais frequencia a soja. “Para esses casos, precisamos fazer o manejo a partir dos 25 a 30 dias de idade do grão e a ferrugem a partir dos 45 dias, para tentar reduzir as perdas de produtividade”, complementa.

    A Dinapec é uma vitrine de tecnologias, realizada pelo Sistema Famasul e pela Embrapa Gado de Corte, entre 07 e 09 de março, aberta a técnicos, produtores e acadêmicos, dispostos a conhecer as soluções tecnológicas desenvolvidas pela pesquisa agropecuária para os diversos sistemas de produção. A realização da Dinâmica Agropecuária tem o apoio das seguintes instituições: Governo do Estado de Mato Grosso do Sul, Agência de Desenvolvimento Agrário e Extensão Rural (Agraer), Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal (IAGRO), Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e da Ciência e Tecnologia (SEDESC), Fundo para o Desenvolvimento das Culturas de Milho e Soja de MS (FUNDEMS).

    Apoiam também a iniciativa a Fundação MS, Fundação Chapadão, Fundação de Apoio à Pesquisa Agropecuária e Ambiental (Fundapam), Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (SENAR/MS), Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), Rede ILPF, Geneplus, Tramasul, Coimma, Companhia Nacional de Nutrição Animal (Connan), Sistema Brasileiro do Agronegócio, Agrobrasil TV e DBO. O patrocínio é da Associação para o Fomento à Pesquisa de Melhoramento de Forrageiras (Unipasto), do Banco do Brasil e do Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), com realização da Embrapa e Sistema Famasul.

    Fonte: ASSECOM


    Imprimir

    RECENTES

    POLÍTICA

    CONCURSOS