Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    28/02/2018

    Japonês da Federal recusa convites políticos e revela bastidores de prisões

    Recém-aposentado, Newton Ishii disse à Rádio Bandeirantes que vai cuidar da filha e quer paz e sossego na vida

    Newton Ishii já teve que ensinar empreiteiro a usar barbeador (Foto: Dida Sampaio/Estadão Conteúdo)
    Aposentado desde segunda-feira (26), Newton Ishii, conhecido como "japonês da Federal", disse que recebeu muitos convites para participar da política, mas recusou. "Não me passou pela cabeça e não me interessa. Eu tenho que cuidar da minha filha. Quero paz e sossego", falou em entrevista ao apresentador José Luiz Datena, no programa 90 Minutos, da Rádio Bandeirantes.

    Newton também revelou momentos curiosos dos bastidores das prisões dos envolvidos nas operações, incluindo a Lava Jato.
    O ex-diretor Internacional da Petrobras Nestor Cerveró foi um deles. O japonês da PF contou que o homem, preso no Aeroporto Galeão (RJ), disse que estava passando mal e não iria se deitar no colchão disponível na cela. "Falei que iria chamar o médico do aeroporto, mas ele queria o médico dele. Dizia que estava com a pressão alta. Ele ficou em pé e, uma hora depois, estava deitado no colchão sujo com o travesseiro já babado de outros presos", disse.

    Em outra história, Newton também citou um dos empreiteiros que foi preso, mas não sabia fazer a barba. "Entreguei o aparelho de barbear e ele falou que nunca tinha feito isso. Achei que ele estava brincando".

    Sobre os presos mais "famosos", o recém-aposentado disse que maioria chora e vai ao banheiro logo em seguida. "Os vasos da carceragem ficaram entupidos. Dava disenteria em todos", brincou.

    Fonte: BandNews


    Imprimir

    RECENTES

    POLÍTICA

    CONCURSOS