Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    26/02/2018

    Governador e prefeito ressaltam "esforço concentrado" para casas na Capital

    Reinaldo Azambuja e Marquinhos Trad assinam contrato para construção de moradias sociais.

    Prefeito Marquinhos Trad (à esquerda) com o governador Reinaldo Azambuja. (Foto: Marcos Ermínio).
    O governador Reinaldo Azambuja e o prefeito Marquinhos Trad ressaltaram o “esforço concentrado” entre os Executivos municipal e estadual, que permitiu a contratação de 1138 moradias sociais na Capital.

    Evento de assinatura dos contratos ocorre na Governadoria, no Parque dos Poderes, na manhã desta segunda-feira (dia 26). Fora Campo Grande, Sete Quedas também vai receber 100 casas. Segundo o governador, as duas cidades foram escolhidas pelo Ministério das Cidades.

    Reinaldo relembrou que houve redução no número de casas disponíveis para Campo Grande e que o Estado “trabalhou muito bem” para conseguir as obras. Em 30 dias, a construção deve começar em ambas cidades.

    Também reforçou a “sintonia” entre prefeitura e governo estadual, por meio de suas secretarias. “Isso mostra os bons projetos e o bom contato entre os Executivos”.

    O mesmo foi destacado pelo prefeito Marquinhos. Com o esforço concentrado entre os dois, afirma, Campo Grande proporcionará casas sociais com recursos federais depois de sete anos.

    Unidades – O governo assina hoje o contrato para construção de 1238 casas, das quais 100 são em Sete Quedas. Na Capital, os apartamentos serão erguidos no Aero Rancho, Santo Amaro, Jardim Inápolis e no Jardim Tarumã.

    Ao todo, as moradias custarão R$ 108 milhões, dos quais R$ 18,7 milhões são do governo estadual e o restante do programa Minha Casa, Minha Vida. Campo Grande entrou com a doação e regularização das áreas onde as casas serão construídas.

    A seleção de moradores será feita posteriormente em conjunto entre a Emha (Agência Municipal de Habitação) e Agehab (Agência Estadual de Habitação). Vale lembrar que participam do processo seletivo quem ganha até R$ 1,8 mil por mês.

    Fonte: campograndenews
    Por: Mayara Bueno e Leonardo Rocha


    Imprimir

    RECENTES

    POLÍTICA

    CONCURSOS