Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    23/02/2018

    Deputado professor Rinaldo debate violência na Assembleia Legislativa

    ©Greg Medeiros
    Durante a sessão desta quinta-feira (22), o líder do Governo na Assembleia Legislativa, dep. Professor Rinaldo (PSDB), trouxe a debate o tema Segurança Pública. O aumento da violência e da criminalidade no Brasil é objeto de preocupação do Poder Público e de toda a sociedade, os brasileiros e o mundo acompanham o caso do Rio de Janeiro, que agora sofre Intervenção Federal como uma tentativa de combate à violência e ao crime organizado.

    O parlamentar ressaltou que segurança é dever do Estado e direito do cidadão, porém “todos devem unir-se para combater a violência. Quando há um morador que não cumpre sua parte, limpando seu terreno, por exemplo, facilitando assim que marginais se escondam ou uma cidade em que a prefeitura não investe em iluminação pública, tudo colabora para o aumento da violência. Segurança pública é dever do Estado, mas não basta ter policiais ou equipamentos, é um conjunto de ações que permitem a promoção da segurança. É preciso que todos façam sua parte e o Governo do Estado tem feito a sua”, afirmou.

    Conforme dados do Governo do Estado, nos últimos 3 anos foram investidos em segurança quase R$ 120 milhões de recursos próprios, sendo o maior investimento da história de Mato Grosso do Sul, além da aquisição de novos equipamentos, foram entregues cerca de 600 novas viaturas (entre veículos e motocicletas), concedidas mais de 5 mil promoções e chamados quase 2 mil novos policiais civis e militares, bombeiros e agentes penitenciários. De acordo com o Atlas da Violência 2017, Mato Grosso do Sul é o 5º Estado mais seguro do país.

    Professor Rinaldo lembrou também da ação civil pública com pedido de liminar que o governador Reinaldo Azambuja (PSDB) move no Supremo Tribunal Federal contra a União cobrando o ressarcimento de R$ 616,5 milhões, que correspondem às despesas assumidas pelo Estado nos últimos cinco anos para custear os presos federais nos presídios locais. Mais de 7 mil detentos (quase metade da população carcerária do Estado) são condenados por tráfico transnacional de armas ou drogas, considerados crimes federais. “Mato Grosso do Sul gasta cerca de R$130 milhões/ano com presos que seriam de responsabilidade do Governo Federal, este valor poderia estar sendo aplicado para a melhoria da segurança do nosso Estado”, disse.

    O deputado frisou ainda a importância das igrejas e entidades de assistência social, “se não fossem essas entidades sociais, que são de grande ajuda aos governos nas questões da assistência social, que cuidam do próximo com amor e solidariedade, imaginem como estaria esse país?”, concluiu Rinaldo.

    Fonte: ASSECOM
    Por: Ely Silveira


    Imprimir