Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    26/02/2018

    Casas populares ficarão prontas em 18 meses, estima presidente da Emha

    Governo e prefeitura de Campo Grande assinam nesta segunda-feira os contratos para 1138 moradias.

    Secretários de Habitação da Capital e MS, Enéas Neto e Maria do Carmo Avesani. (Foto: Marcos Ermínio).
    As 1238 unidades habitacionais – cujos contratos serão assinados nesta segunda-feira (dia 26) – deverão ficar prontas em 18 meses, estima o diretor presidente da Emha (Agência Municipal de Habitação), Enéas Neto.

    O governo de Mato Grosso do Sul e a prefeitura de Campo Grande fazem ato, nesta manhã, em evento na Governadoria, no Parque dos Poderes.

    Ao todo, o contrato é de R$ 108 milhões, dos quais R$ 18,7 milhões são do governo estadual. O Executivo municipal entrou com a doação e regularização do terrenos onde serão erguidas as casas, no caso de Campo Grande.

    O restante é do governo federal, subsidiado pelo Ministério das Cidades, no programa Minha Casa Minha Vida.

    São 1138 unidades em Campo Grande e 100 em Sete Quedas. Na Capital, serão dois conjuntos no Aero Rancho, um no Santo Amaro, um no Tarumã e um no Jardim Inápolis, próximo ao Núcleo Industrial, de acordo com a secretária da Agehab (Agência Estadual de Habitação), Maria do Carmo Avesani.

    Por aqui, todas as unidades serão apartamento, enquanto em Sete Quedas, casas. A secretária reforçou que o trabalho em parceria e o esforço das secretarias, Caixa Econômica, entre outras instituições, fez com que MS ficasse entre os melhores pontuados em relação à entrega de documentos e agilidade para conseguir as casas.

    A seleção de moradores para as unidades será feita posteriormente e em conjunto entre as duas secretarias, ainda segundo o titular.

    Fonte: campograndenews
    Por: Mayara Bueno e Leonardo Rocha


    Imprimir