Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    28/02/2018

    Após troca, Temer recebe novo diretor-geral da PF no Planalto

    Pauta do encontro não foi divulgada à imprensa; novo ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann também esteve na reunião

    © Isac Nobrega/PR
    No dia seguinte ao anúncio da troca do comando da Polícia Federal, o presidente Michel Temer recebeu nesta quarta-feira (28) o novo diretor-geral, Rogério Galloro.

    O encontro foi no Palácio do Planalto e ocorreu antes mesmo de sua nomeação oficial como novo chefe da Polícia Federal, o que deve ser formalizado nesta quinta-feira (1º) em publicação do "Diário Oficial" da União.

    O tema do encontro não foi oficialmente divulgado. Segundo a reportagem apurou, o presidente assegurou a Galloro que não irá interferir na atuação do órgão federal e disse que ele terá apoio para prosseguir as investigações.

    A saída de Fernando Segovia foi acertada na última segunda-feira (26) em conversa entre o presidente e o novo ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, que ainda tinha acabado de ser anunciado para o cargo.

    Temer planejava mudar o comando da Polícia Federal desde o início do mês, após Segovia ter comentado sobre inquérito em andamento, mas buscava um outro motivo para não causar constrangimento ao ex-diretor-geral.

    Com a transferência da corporação policial para o novo ministério, ele encontrou o argumento de que seria natural que Jungmann quisesse montar a sua própria equipe e fazer as trocas que julgasse necessárias para a nova gestão.

    A avaliação do presidente foi de que Segovia acabou criando divisões internas na Polícia Federal e causou uma saia justa inclusive junto ao STF (Supremo Tribunal Federal), que pediu a ele que se abstivesse de comentar o inquérito dos portos.

    A escolha de Galloro teve como objetivo prestigiar o ministro da Justiça, Torquato Jardim, defensor de seu nome, e evitar passar a mensagem de que Jungmann atravessou Torquato, retirando um delegado-geral que foi nomeado pelo ministro. 

    Fonte: NAOM - Com informações da Folhapress.


    Imprimir

    RECENTES

    POLÍTICA

    CONCURSOS