Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    15/02/2018

    Adolescente de 16 anos é drogada, amarrada e estuprada por três homens

    A vítima foi amordaçada e violentada diversas vezes

    © Ilustração
    Três homens, entre 34 e 37 anos, foram presos em flagrante por estupro de vulnerável e tráfico de drogas na noite do último domingo (11), na Vila Nasser, em Campo Grande. Os suspeitos drogaram, amordaçaram e estupraram uma adolescente de 16 anos.

    Ao Jornal Midiamax, a delegada Fernanda Félix Carvalho Mendes, da Deam (Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher), disse que a polícia chegou até os suspeitos depois que uma mulher, de 38 anos, acionou a PM.

    “A Polícia Militar foi até o local, em uma casa na Avenida Tamandaré, e encontrou a jovem caída, com os pulsos e pernas amarrados com um fio”, explicou a delegada. Em depoimento aos militares, a vítima contou que um dos homens, de 34 anos, a obrigou a cheirar cocaína, passando o pó no seu nariz.

    “Ela afirmou que tentou fugir, mas logo foi capturada por um dos homens que a amarrou”, disse Fernanda. Em seguida, a garota começou a ser violentada e, enquanto um estuprava a vítima, os outros dois assistiam se masturbando.

    Um dos homens, o mesmo que obrigou a adolescente a usar drogas, estava com uma arma de fogo e a ameaçava constantemente para não gritar ou contar para alguém posteriormente.

    “Em um descuido deles, ela conseguiu fugir e pedir ajuda”, relatou a delegada. A adolescente, mesmo com os pulsos e pernas amarrados, pediu ajuda à uma moradora. A Polícia Militar flagrou os três homens nas proximidades. A arma e 6,8 gramas de cocaína foram apreendidos e os suspeitos encaminhados para a Deam.

    A jovem foi encaminhada imediatamente ao Imol (Instituto de Medicina e Odontologia Legal) para exames sexológicos e as roupas íntimas da vítima foram recolhidas para perícia. Os laudos devem ficar prontos em 10 dias, a contar da data do ocorrido.

    A delegada explica que caso os três suspeitos forem acusados pelo crime de estupro de vulnerável, pena poderá ser de 8 a 15 anos de prisão.

    Fonte: Midiamax
    por: Mariane Chianezi


    Imprimir