Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    26/01/2018

    Justiça concede liberdade e líder da CUT-MS pode ser solto nesta sexta-feira

    Ele foi preso em caravana que apoiava ex-presidente Lula.

    © Arquivo
    Preso na última quarta-feira (24) em caravana que saiu de Campo Grande e tinha Porto Alegre como destino, o presidente da CUT-MS (Central Única dos Trabalhadores), Genilson Duarte, pode ser solto ainda hoje. Revogação da prisão foi emitida pelo judiciário nesta sexta.

    De acordo com a CUT-MS, Genilson está preso em penitenciária de Canoas, cidade localizada na região metropolitana de Porto Alegre.

    O pedido de soltura, segundo a CUT, foi impetrado no TJMS (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul) e a decisão emitida nesta sexta. A ordem para que a prisão seja revogada será encaminhada ao judiciário gaúcho.

    A CUT acredita que o líder sul-mato-grossense possa ser solto ainda nesta sexta-feira.

    A prisão

    Genilson foi preso enquanto seguia para manifestação em apoio ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva, julgado anteontem pela 2ª instância gaúcha.

    O ônibus em que estavam Genilson e outros manifestantes foi parado pela PRF (Polícia Rodoviária Federal) e segundo a corporação não haviam documentos que comprovassem a legalidade do transporte.

    O líder da CUT foi detido, no entanto, porque contra ele havia mandado de prisão expedido desde o ano passado em processo que analisava crime de desobediência. Segundo a Centra dos Trabalhadores, Genilson deixou de comparecer a uma audiência e, por isso, estava com o mandado em aberto.

    Fonte: Midiamax
    Por: Aliny Mary Dias


    Imprimir