Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    29/01/2018

    Assassino de ex-mulher escapa do flagrante por feminicídio, mas fica preso por estupro

    Suspeito se entregou cinco dias depois do assassinato da ex no Bairro Santa Emília em Campo Grande.

    Bruno Mendes de Oliveira, 29 anos (Foto: Saul Schramm)
    Bruno Mendes de Oliveira, 29 anos, está preso por ser suspeito de cometer um estupro em 2015 no Paraná. Ele se entregou para polícia no sábado (27) e confessou ter assassinado com 18 facadas a ex-mulher Katiuce Arguelho dos Santos, 31 anos. O crime aconteceu no dia 22, na Rua Internacional, no Bairro Santa Emília, em Campo Grande.

    Conforme a delegada que investiga o caso, Ariene Murad, da Deam (Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher), a prisão pelo feminicídio já foi pedida e agora a polícia aguarda decisão da Justiça.

    Porém, ao se apresentar, o suspeito permaneceu preso pelo mandado de prisão por estupro. O crime teria ocorrido na cidade de Nova Esperança, mas a polícia ainda não tem detalhes sobre o caso.

    Bruno foi apresentado nesta tarde em coletiva de imprensa e além de confessar o feminicídio da ex, também revelou que após o crime ficou escondido em um matagal, no bairro São Conrado, na Capital. Lá, durante pelo menos cinco dias ele disse que se alimentou apenas de água e de “arrependimento”. “Me entreguei porque era o certo a fazer”, declarou o suspeito.
    Bruno Mendes posa para foto com Katiúsce (Foto: Arquivo Pessoal/ Facebook)
    Segundo a delegada, o casal ficou junto por dois anos e estava separada há quatro meses. Contudo, Katiuce continuava a ajudar o suspeito com dinheiro e comida.

    “No dia do crime ela [Katiuce] foi até a casa de Bruno para tirar foto da geladeira. A intenção era ajudá-lo a vender o eletrodoméstico para que com o dinheiro ele comprasse uma passagem até a casa do pai, em Presidente Venceslau (SP)”, detalha.

    Entretanto, os dois discutiram, pois Bruno tinha ciúmes do ex-marido de Katiuce. “Ele golpeou a vítima 18 vezes com um facão no pescoço, costas e em outros membros”, explica a delegada.

    Questionado, ele nega que o crime tenha sido premeditado e ainda alega que apenas se lembra de quatro facadas.

    Investigações – A delegada ainda contou que durante as investigações testemunhas afirmaram que o início do relacionamento entre os dois era tranquilo. Mas, depois de um tempo Bruno revelou um comportamento de possessão.

    Ele sentia ciúmes de Katiuce e já a agrediu, mas por pena a vítima não procurou a polícia para denunciá-lo.

    O suspeito será indiciado por homicídio qualificado por motivo torpe. Sobre o estupro, ele negou as acusações e apenas declarou que “não tem nada a ver com isso”.

    Fonte: campograndenews
    Por: Guilherme Henri e Geisy Garnes


    Imprimir

    RECENTES

    POLÍTICA

    CONCURSOS