Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    31/01/2018

    APARECIDA DO TABOADO| Município registra alto índice de infestação do mosquito Aedes aegypti

    Um caso suspeito de dengue foi registrado no município.

    © Divulgação
    Após executar o LIRAa (Levantamento de Índice Rápido do Aedes aegypti), de 08 a 12 de janeiro, a Prefeitura de Aparecida do Taboado constatou um alto IIP (Índice de Infestação Predial) do mosquito Aedes aegypti e registrou um caso suspeito de dengue.

    Segundo informou o secretário de Saúde, Márcio Garcia Galdino, o LIRAa (Levantamento de Índice Rápido do Aedes) tem como objetivo apurar no menor tempo possível o IIP de uma de área pré-determinada. O trabalho é realizado pela Coordenadoria de Controle de Vetores.

    “Através do LIRAa constatamos que IIP do município atualmente está em 1,4% e de acordo com a OMS (Organização Mundial de Saúde), o IIP ideal seria abaixo de 1%, por isso é tão importante a conscientização da população contra o mosquito transmissor”, explicou o secretário.

    O maior índice foi registrados no Jardim Samara, com 2,4%. Os bairros São Jeronimo e Jardim do Lago estão com IIP de 1,9%; já a região central está com o IIP de 1,7% e a Vila Barbosa está com o IIP de 1,1%. “Enfim, o município se encontra em estado de alerta em relação às doenças transmitidas pelo Aedes aegypti, seja a Dengue, Chikungunya, Febre Amarela ou Zika vírus”, completou.

    Conforme o Controle de Vetores, latas e garrafas são considerados os principais criadouros de focos do mosquito, muitas das vezes deixados expostos pelos próprios moradores. “Pedimos para a população em geral ficar atenta. Verifique pelo menos uma vez por semana se na sua casa ou quintal não tem objetos que possam ser criadouros do mosquito da Dengue. Fale com seu vizinho, converse com seus parentes e peça para eles fazerem o mesmo”, orientou o coordenador do Controle de Vetores, José Fernando da Silva. Ele lembrou ainda que “para eliminar este perigo precisamos de ações coletivas e não somente esperar pelo Poder público”.

    A Secretaria de Saúde tem realizado visitas diárias nas residências e terrenos baldios, através dos seus Agentes de Combate as Epidemias (ACE) e Agentes Comunitários de Saúde. Uma equipe de Agentes de Combate as Epidemias realizam visitas a cada 15 dias em pontos estratégicos, como, por exemplo, borracharias, ferros velhos, cemitério, entre outras localidades, com o objetivo de fazer inspeção, tratamento e eliminação de criadouros.

    A cada 15 dias mais de 100 pneus inservíveis são recolhidos de borracharias e de residências e depositadas no ECOPONTO, ficando abrigados das chuvas, até que a transportadora venha buscar para levá-los para reciclagem. “Infelizmente, mesmo com este trabalho quinzenal a nossa equipe vem encontrando vários focos em pneus que são de responsabilidade dos proprietários das borracharias. Para se ter uma ideia da situação crítica em que se encontra algumas borracharias, somente na última visita realizada pela equipe dos ACE foram eencontrados 36 focos do mosquito transmissor da Dengue, Chikungunya, Febre Amarela Zika. O IIP ficou em 33,3%”, lamentou o coordenador.

    A Secretaria de Saúde estuda uma maneira corretamente jurídica, com o intuito de notificar esses proprietários que não tem colaborado com o trabalho de combate ao mosquito, assim como moradores que também não cooperam.

    Fonte: ASSECOM
    Por: Luana Chaves


    Imprimir