Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    27/12/2017

    TRÊS LAGOAS| Prefeitura antecipa salários dos servidores municipais

    Economia e gestão programada proporcionaram 3 folhas em dezembro

    © DR
    Os resultados da economia feita pela Prefeitura de Três Lagoas no primeiro ano de governo do prefeito Ângelo Guerreiro já surtem efeitos positivos na economia da Cidade. O pagamento em dia dos servidores favorece o aquecimento da economia mantendo a circulação de dinheiro no comércio do Município.

    Os salários de dezembro foram antecipados e estão na conta dos servidores desde 26 de dezembro.

    Diferente de outros municípios do País, Três Lagoas conseguiu manter em dia e antecipar a folha de pagamento dos seus mais de 4 mil servidores.

    Contando o 13º salário, dividido em 2 parcelas já pagas, foram geradas pela administração do município três folhas de pagamento em dezembro.

    Para se alcançar tal feito umas das ações da administração foi seguir a riscar a sugestão do Prefeito Ângelo Guerreiro de cortar gastos desnecessários em todas as pastas de sua gestão. Mesmo após eleito, em outubro de 2016, Ângelo Guerreiro se posicionou contra o aumento de salários para prefeito, vice, secretários e diretores de Três Lagoas, não acontecendo o reajuste. Várias cidades do país aderiram ao aumento.

    Em vários municípios do Estado o aumento dos salários para prefeito, vice-prefeito, secretários municipais, procurador-geral, controlador, chefe de gabinete do prefeito e dos vereadores, em alguns casos chega a 30%.

    Para Angelo Guerreiro a cooperação e entendimento da equipe em cortar despesas e economizar, por exemplo, em diárias, fez toda a diferença.

    “Podemos nos considerar uma cidade abençoada por nossos servidores não precisarem passar pelo que vários municípios estão tendo que enfrentar com a falta de recursos para pagamento de seus funcionários. Colhemos hoje os frutos da cooperação e entendimento da equipe de gestores sobre a importância e responsabilidade com os gastos públicos”, finaliza o gestor.

    Fonte: ASSECOM


    Imprimir

    RECENTES

    POLÍTICA

    CONCURSOS