Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    18/12/2017

    Para o vereador Ademir Santana audiência pública sobre água e esgoto mostrou que muitos assuntos ainda precisam ser discutidos

    © Divulgação 
    Durante a audiência pública que debateu o fornecimento de água e esgoto em Campo Grande, muitos moradores questionaram os serviços e os preços de tarifas praticados pela concessionária Águas Guariroba. O evento aconteceu na Câmara Municipal, na sexta-feira (15).

    O vice-presidente da Comissão, vereador Ademir Santana, que teve a inciativa de solicitar a audiência, disse que por um lado as discussões foram válidas, mas que ainda não ficou satisfeito com as respostas oferecidas pela Águas “Em 2018 eu vou continuar empunhando essa bandeira de buscar a transparência total sobre tudo que vem da concessionária de água e esgoto. Não vou sossegar enquanto não obtiver as respostas oficiais”, argumentou o parlamentar.

    Logo no início da audiência, Ademir Santana leu e entregou por escrito aos representantes da Águas Guariroba um questionário com mais de 15 perguntas para que fossem respondidos tanto na audiência como posteriormente, já que muitas das perguntas merecem respostas baseadas em dados concretos.
    © Divulgação 
    “Há questões de contrato que não estão bem explicadas. É preciso que a concessionária nos dê argumentos legais para que determinadas atitudes estejam sendo tomadas, como é o caso da tabela de tarifas do metro cúbico para as diferentes categorias de consumidores e também os preços de instalação de água e esgoto, que eu considero abusivas, mas preciso de respostas para então formar minha opinião sobre esses assuntos. Vou aguardar um pronunciamento deles o mais rápido possível”, afirmou.
    © Divulgação 
    Outros assuntos como a instalação dos cavaletes do hidrômetro, que atualmente estão localizados pelo lado de fora das residências, mas que exigem do consumidor responsabilidade pela manutenção do equipamento; e o planejamento de execução das redes, que muitas vezes deixa apenas uma pequena parte do bairro sem o benefício, deixando os moradores sem entender os porquês desse tipo de procedimento, foram também levantados pela população presente e, segundo o vereador, não obtiveram respostas satisfatórias.

    “Uma parte da audiência foi cumprida, sobretudo no que diz respeito à participação popular. Mas, se levarmos em consideração as respostas que recebemos da concessionária, não saio satisfeito e vou continuar com a saga de conseguir entender o que está ocorrendo. Estou vigilante e assim vou permanecer”, alertou Ademir Santana.

    Fonte: ASSECOM
    Por: Guto Dobes


    Imprimir

    RECENTES

    POLÍTICA

    CONCURSOS