Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    21/12/2017

    Em reforma, Câmara dá férias coletivas a funcionários e volta só em fevereiro

    Casa de leis apresentou balanço e aprovou 19 projetos de leis na última sessão antes do recesso

    Sessão na Câmara Municipal de Campo Grande © Arquivo
    A Câmara Municipal de Campo Grande fez a última sessão antes do recesso parlamentar nesta quinta-feira (21). Foram aprovados 19 projetos de leis e o presidente da casa de leis, João Rocha (PSDB), apresentou um balanço das atividades ao longo dos 12 meses.

    Os vereadores apresentaram 41 mil indicações, que são pedidos e sugestões dos parlamentares para a prefeitura de Campo Grande. Foram 77 sessões e 45 audiências públicas e 61 pessoas usaram a tribuna da Câmara Municipal.

    Rocha destacou, ainda, a Feira do Trabalho, que teve três edições em 2017 e atendeu 25 mil pessoas. A ação promove serviços de saúde, beleza, cidadania e emprego de forma gratuita.

    "Acertamos e erramos, mas sempre na intenção de fazer as entregas". O presidente também ressaltou a harmonia com o Executivo municipal e a parceria com o governo de Mato Grosso do Sul. "Isso nós conseguimos. Relações independentes, mas mantendo a harmonia e entendimento".

    Ainda de acordo com o dirigente, a transparência foi ampliada com a criação do Diário Oficial e do canal de Informação ao Cidadão, ambos disponíveis no site da Câmara.

    Concurso e reforma - Lembrou, ainda, do concurso público, cuja prova foi aplicada em 17 de dezembro, e terá 70 vagas. Por enquanto só foi divulgado o gabarito preliminar e a posse ficou para 2018.

    A concorrência foi aberta quase um ano e meio depois que o MPMS (Ministério Público de MS) entrou com ação na Justiça exigindo-a. Antes de decisão judicial, Câmara e MP fizeram acordo sobre o concurso.

    João Rocha também falou da reforma que ocorrerá no prédio da casa de leis. A intervenção começa semana que vem e renderá aos servidores e vereadores 30 dias de recesso. Quem ganhou a concorrência foi a Age Comercial Ltda. por R$ 3,1 milhões. Este será o segundo projeto de mudanças estruturais em dois anos.

    Todo o mês de janeiro será de férias coletivas para, segundo disse anteriormente o presidente, deixar o prédio vazio para reforma. Na sexta-feira (21), haverá expediente normal e de 23 a 29 de dezembro o expediente será só em meio-período.

    A intervenção inclui acessibilidade "da calçada" aos demais setores. A ideia reunir os gabinetes dos parlamentares só no primeiro andar. Na parte de cima do prédio, se concentrarão os demais setores administrativos e a presidência será ampliada. O plenário, onde os vereadores fazem as sessões, não terá grandes alterações.

    Comissão provisória - Todo ano, quando entra em recesso, a Câmara institui uma comissão provisória formada por vereadores que ficam em uma espécie de plantão. De 2017 para 2018, ficarão Cida Amaral (), Dharleng Campos (PP), Junior Longo (PSDB), Ayrton Araújo (PT) e Eduardo Romero (Rede).

    Fonte: campograndenews
    Por: Mayara Bueno


    Imprimir