Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    30/11/2017

    Deputado corre risco de expulsão por votar com o governo, contrariando PDT

    Dirigentes do partido em Mato Grosso do Sul estão revoltados e pediram ‘a cabeça’ do parlamentar, segundo o presidente regional Dagoberto Nogueira

    Deputado estadual George Takimoto em entrevista © Divulgação/ALMS
    O deputado estadual George Takimoto (PDT) foi colocado “no paredão” por outros dirigentes do partido porque ele contrariou a orientação nacional da legenda votando a favor da reforma da Previdência estadual. “Existe uma revolta dentro do partido contra ele”, confirmou o presidente regional, Dagoberto Nogueira, sobre o pedido de expulsão do parlamentar.

    O próprio deputado diz que ouviu boatos de que estariam pedindo “a cabeça” dele, mas diz que não foi comunicado de nada.

    Segundo Takimoto, o presidente do PDT nacional, Carlos Lupi, havia orientado todos os parlamentares da legenda que votassem contra as reformas, trabalhista e da Previdência, quando foram propostas nacionalmente.

    Ele contou ainda que o presidente regional telefonou para ele dias atrás pedindo que o deputado estadual seguisse a orientação nacional em relação ao projeto do governo.

    Takimoto afirma que, entretanto, decidiu votar com a própria consciência. “A reforma era necessária. Eu como deputado mais velho da Assembleia [76 anos] e médico, entendo que o idoso no país passa por um momento difícil, sem saúde e sem dinheiro. Imagine se ficar sem aposentadoria?”, afirmou sobre achar que por conta do rombo na Previdência estadual, que fecha com deficit de quase R$ 1 bilhão por ano, segundo o governo.

    O deputado estadual disse ainda que se for expulso, deixará o PDT com a consciência tranquila. “Saio do mesmo jeito que entrei, pela porta da frente”.

    O parlamenta revelou que antes da votação, na terça-feira (28), já havia recebido convites de vários partidos, dentre eles o PR, PMDB, PHS, DEM E PSD.

    Dagoberto disse que a situação da Takimoto será discutida nesta sexta-feira (30), durante reunião da executiva do partido.

    Votação - Em meio a protestos, que foram desde os gritos de “vergonha” à invasão da sede do Legislativo estadual, e em sessão “relâmpago”, deputados aprovaram o projeto do Governo do Estado por 13 votos a favor e sete contra.

    A bancada do PT – Pedro Kemp (PT), Cabo Almi (PT), João Grandão (PT) e Amarildo Cruz (PT) – foi unânime em votar contra a reforma, além de Coronel David (PSC), Paulo Siufi (PMDB) e Lídio Lopes (PEN). 

    A bancada do PSDB votou a favor, com exceção deputado Felipe Orro que estava ausente.

    Também foram a favor Antonieta Amorim (PMDB), Eduardo Rocha (PMDB), Márcio Fernandes (PMDB), Renato Câmara (PMDB), Herculano Borges (SD), Paulo Corrêa (PR), George Takimoto (PDT) e Zé Teixeira (DEM).

    Fonte: campograndenews
    por: Anahi Zurutuza e Leonardo Rocha


    Imprimir

    RECENTES

    POLÍTICA

    CONCURSOS