Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    quinta-feira, 9 de novembro de 2017

    Coronel David se reúne com representantes da segurança pública para discutir reforma da previdência

    O projeto da reforma foi entregue pelo governador Reinaldo Azambuja no dia 31 na Casa de Leis

    © Divulgação
    O deputado estadual Coronel David participa na tarde desta quinta-feira (9), às 14 horas de uma reunião na sala da presidência da Assembleia Legislativa com diversas entidades da segurança pública para discutir a proposta da reforma da previdência, proposta pelo Governo do Estado no dia 31 na Casa de Leis.

    Na reunião estarão presentes representantes do Sinpol-MS (Sindicato dos Policiais Civis de MS), peritos criminais da Polícia Civil, peritos papiloscopistas, membros da ABSSMS (Associação dos Subtenentes, Sargentos e Oficiais da Polícia Militar), associação dos Soldados e Praças, Adepol (Associação dos Delegados de Polícia do Estado de Mato Grosso do Sul), AOFMS (Associação dos Oficiais Militares de Mato Grosso do Sul) e representantes dos Bombeiros Militares de Mato Grosso do Sul.

    "Por representar a Assembleia Legislativa, esperamos que o Coronel David nos dê este apoio, e que as entidades possam apresentar suas reivindicações, cobrando um diálogo com Governo para a aplicação desse reajuste de forma justa", disse o presidente do. Sinpol-MS, Giancarlo Corrêa Miranda.

    Reforma da Previdência

    O projeto prevê a criação de Previdência Complementar, regime integrado ao sistema previdenciário nacional, de caráter privado, autônomo, facultativo e contratual, com o objetivo de proporcionar um benefício adicional ao participante, buscando a manutenção do seu padrão de vida após a aposentadoria. No último dia 31, Coronel David afirmou seu apoio em busca do diálogo. “Vamos analisar o material com os outros pares da Casa de Leis e abrir espaço para que as categorias conheçam o projeto e debatam essas mudanças”, disse Coronel David.

    De acordo com o projeto, são quatro as alterações no sistema previdenciário atual: criação da Previdência Complementar ao RPPS, revisão dos planos financeiro e previdenciário, alteração da alíquota de contribuição dos segurados ativos e inativos, de 11% para 14% para os servidores, e de 22% para 28%, a contribuição do governo, além do fortalecimento da gestão da Ageprev com a instituição do fundo único.

    Todos os servidores ativos, no âmbito dos poderes, passarão a integrar, dentro do Regime Próprio de Previdência Social, um Plano Previdenciário Único, como determina a legislação federal. A sistematização (desfazimento da segregação das massas e reunificação do RPPS em um plano único) vai fortalecer a Ageprev.

    Fonte: ASSECOM


    Imprimir

    RECENTES

    POLÍTICA

    CONCURSOS