Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    quinta-feira, 26 de outubro de 2017

    CCR MSVia informa| Serviço de Atendimento ao Usuário da BR-163/MS completa três anos

    Mais de 180 mil usuários foram atendidos na pista no período

    © Divulgação
    Neste mês de outubro, a CCR MSVia comemora três anos de atuação do Serviço de Atendimento ao Usuário, SAU, na prestação de socorro a motoristas, passageiros e pedestres que circulam pela BR-163/MS.

    Criado exclusivamente para atender aos usuários da BR-163/MS, o SAU envolve cerca de 500 colaboradores, dos quais, 259 profissionais especializados na área de APH-Atendimento Pré-hospitalar (entre eles 35 médicos em plantões 24 horas).

    “Antes da existência da CCR MSVia e do seu trabalho efetivo, o usuário ficava ao deus dará na rodovia. Hoje, isso não acontece mais. Dia e noite, de segunda a segunda, estamos presentes”, comemora Fausto Camilotti, gestor de Atendimento da CCR MSVia, responsável pelo serviço.

    Ao todo, o SAU registrou, em três anos de operação, 180.900 usuários atendidos em ocorrências nas pistas da BR-163/MS. Desse total, 131.199 ocorrências envolveram socorro a panes diversas nos veículos (panes mecânicas, problemas em pneus, panes secas, superaquecimentos de motor, panes elétricas e baterias descarregadas).

    “Imaginem quantos engavetamentos, colisões traseiras e abalroamentos (entre outros) deixaram de acontecer porque nossas equipes chegaram rapidamente para sinalizar o local, remover e atender ao usuário, seja com a solução do problema ou com a remoção do veículo a local apropriado”, enfatiza Fausto Camilotti.

    Atendimentos clínicos

    Outro número de destaque nesses três anos, diz o engenheiro, estão os 14.866 atendimentos pré-hospitalares, realizados por colaboradores especializados em APH. Desse total, 45% (6.809 atendimentos) envolveram atendimentos clínicos pelos médicos que trabalham no SAU.

    “Isso significa que, além do nosso trabalho diferenciado de atendimento a panes de veículos e acidentes, passamos a atender a uma demanda que estava reprimida e passou a ser suprida com a chegada dos nossos médicos, enfermeiros e resgatistas à BR-163/MS”, esclarece Camilotti. “São motoristas e passageiros que sofreram mal súbito e foram prontamente atendidos na pista ou em nossas Bases”.

    Com a chegada do SAU também foi disponibilizado os usuários o Disque CCR MSVia, serviço gratuito de atendimento ao usuário que, antes da CCR MSVia, não existia no Estado nos padrões oferecidos pela Concessionária.

    Operando 24 horas pelo telefone 0800 6480163, o serviço oferece informações sobre as condições de tráfego da rodovia e funciona 24 horas por dia, também recebendo ligações com pedidos de atendimento na via e socorro a emergências. Ele funciona, ainda, como central de recebimento de reclamações, críticas, sugestões e elogios.

    “Em três anos de operação, o 0800 atendeu a 319.776 ligações, seja diretamente por meio de uma das atendentes, seja por meio da Unidade de Resposta Automática, URA, que oferece informações das condições de tráfego da rodovia”, informa Camilotti.

    O SAU

    Os cerca de 500 colaboradores do SAU operam a partir de 17 Bases Operacionais localizadas, em média, a cada 50 quilômetros da rodovia, em regime de turnos para dar assistência 24 horas por dia, todos os dias da semana.

    As equipes do Serviço contam com uma frota composta por 17 ambulâncias-resgate (05 unidades móveis de terapia intensiva), 04 viaturas de intervenção rápida, 09 guinchos pesados, 17 guinchos leves, 18 inspeções de tráfego e 11 caminhões de serviço à disposição dos usuários da rodovia, 24 horas por dia, todos os dias.

    Todo esse aparato é controlado a partir de Campo Grande, onde funciona o Centro de Controle Operacional da CCR MSVia, operado 24 horas por dia, todo os dias da semana, com uma equipe de 15 colaboradores que atua em regime de revezamento. O CCO cobre a rodovia por meio de cerca de 440 câmeras em circuito fechado de TV. O 0800 também opera dentro das instalações do CCO, o que oferece mais agilidade no atendimento às ocorrências.



    Fonte: ASSECOM


    Imprimir

    RECENTES

    POLÍTICA

    CONCURSOS