Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    30/08/2017

    Shoppings e universidades podem ser obrigados a dispor de desfibrilador

    Locais com movimento de mais de mil pessoas por dia também serão incluídos

    Deputados Onevan de Matos, Flávio Kayatt e Felipe Orro, autor do projeto (Foto: Victor Chileno/ALMS)
    O projeto apresentado pelo deputado Felipe Orro (PSDB), obriga shopping centers, estádios, ginásios esportivos, aeroportos, ferroviárias, portos, clubes, universidades e academias que recebem mais de mil pessoas por dia, a dispor de um aparelho "desfibrilador cardíaco", para atender casos de emergência.

    O autor ainda prevê esta obrigatoriedade para todos os estabelecimentos que recebam a partir de mil pessoas por dia. "A desfibrilação é reconhecidamente uma das ações fundamentais para o restabelecimento do ritmo cardíaco, com um aparelho é possível socorrer a vítima no local de forma mais eficaz", disse Orro.

    O deputado ainda citou que o projeto precisa atender às normas vigentes e os locais deverão promover treinamentos de pessoal para operar o aparelho, como por exemplo procedimentos de ressuscitação cardiorrespiratória. Ele destaca que não existe tal exigência em lei, até para ambulâncias e veículos de resgaste de bombeiros.

    "Segundo os cardiologistas, o ideal é que o paciente infartado ou com arritmia cardíaca tenha o necessário e adequado socorro médico nos primeiros cinco minutos, o que seria possível com o desfibrilador cardíaco externo. Outros países vêm recomendando a utilização do aparelho em locais públicos".

    O projeto segue para as comissões permanentes da Assembleia, para depois ser apreciado em duas votações, pelos deputados estaduais. Caso seja aprovado, ainda passa pelo crivo do governador Reinaldo Azambuja (PSDB), que pode vetar ou sancionar a matéria.

    Fonte: campograndenews
    Por: Leonardo Rocha


    Imprimir

    RECENTES

    POLÍTICA

    CONCURSOS