Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    17/08/2017

    Guerra entre facções dificulta prisão de responsáveis por execução filmada

    Com guerra declarada no mundo do crime, polícia tem dificuldade para achar assassinos de jovem

    Momentos antes da execução. (Foto: Reprodução)
    Para a polícia, não há dúvidas de que há uma guerra declarada entre facções em Mato Grosso do Sul - que está cada dia mais sangrenta. As frequentes batalhas por território dão origem a crimes bárbaros como o esquartejamento gravado do jovem Fernando Nascimento dos Santos, 22 anos. Segundo as autoridades policiais, por se tratarem de conflitos com grande número de envolvidos, direta ou indiretamente, dificultam a investigação e, consequente, prisão dos autores.

    "É crime organizado e está bem complicado de se investigar. Existe uma sociedade criminosa inserida dentro da sociedade como um todo e essa sociedade criminosa está em conflito, por isso, estão ocorrendo esses crimes. Estamos enfrentando um pouco de dificuldade em virtude desse teatro criminal que envolve muito atores", explica o delegado Jairo Mendes, titular da Delegacia de Polícia Civil, responsável por investigar a morte de Fernando.

    O delegado afirma que já ouviu familiares da vítima e tem feito pesquisa sobre antecedentes, além da análise de vídeos que estão circulando na internet com imagens da execução, mas até agora não tem nenhum suspeito de ter cometido o crime. "A polícia tem obrigação e nós estamos trabalhando para restabelecer a ordem e esclarecer os fatos, mas, pelo vídeo, ficou claro que é guerra entre facções", diz.

    Mendes finaliza a entrevista tranquilizando a população: "A sociedade, como um todo, não é alvo dessas mortes. Os alvos são pessoas que entraram no crime e sabiam do risco. Eles estão disputando espaço e usam essas execuções para demonstrar poder", conclui.

    Execução - Em mais um caso de execução filmada em Campo Grande, o jovem Fernando Nascimento dos Santos, encontrado esquartejado na manhã desta quarta-feira (16), teve a morte gravada em vídeo, que agora circula de forma viral pelas redes sociais.

    Em razão da atrocidade mostrada, o site Campo Grande News não publicou o vídeo completo, apenas o início das imagens e um relato das cenas.

    O vídeo tem um minuto e 43 segundos. No início da filmagem, o jovem aparece sentado na mesma cadeira em que foi gravado pedindo desculpas ao PCC (Primeiro Comando da Capital). Aparentemente dopado, ele não esboça reação, enquanto um homem, com o rosto coberto por um capuz, se aproxima com uma faca nas mãos.

    Ao fundo da gravação alguém diz: "Ao Primeiro Comando da Capital, esse recado aqui vai pra todos os lixo que se encontra aí no nosso Estado, aí aonde for aí, nóis vai mata tudo, entendeu? esse daqui vai um recado, entendeu? Nosso, o Primeiro Comando da Capital, família 1533, entendeu? P***" (sic). A sequência da filmagem traz a execução.

    Antes que a gravação seja finalizada, um último anúncio é feito: "CV (Comando Vermelho) plantar em Campo Grande vai morrer, salve aí quadrilha, a todos os meus padrinhos, Primeiro Comando da Capital". A gravação é finalizada.

    Fonte: campograndenews
    por: Luana Rodrigues


    Imprimir

    RECENTES

    POLÍTICA

    CONCURSOS