Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    quinta-feira, 8 de junho de 2017

    SAU da CCR MSVia realiza quase 11 mil atendimentos em maio

    © Divulgação
    Em balanço divulgado nesta quinta-feira (08/06), a CCR MSVia informou que o Serviço de Atendimento ao Usuário (SAU), registrou 10.829 atendimentos no mês de maio. Desse total, 3.942 eventos foram socorro mecânico, o equivalente a 36,4%.

    Segundo o coordenador de Interação com o Cliente da CCR MSVia no trecho Centro da BR-163/MS, Ademir Pereira, continua sendo espantosa a quantidade de panes mecânicas, que correspondem a quase ¼ dos atendimentos de socorro mecânico (2.499 casos - 23,1% do total).

    “Esses casos superam em muito as demais ocorrências como casos de pneu furado (646 – 6%), pane seca (302 – 2,8%), superaquecimento do motor (238 – 2,2%), pane elétrica (153 – 1,4%) e bateria descarregada (104 – 1%)”, diz o coordenador. “Os usuários precisam cuidar melhor dos seus veículos, porque a pane mecânica não só atrapalha a viagem, como pode causar acidentes graves”.

    Pereira destaca que o usuário não fica sozinho na BR-163/MS. O SAU está presente em toda a BR-163/MS, com 17 Bases Operacionais, mais de 80 viaturas (entre elas 30 guinchos entre leves e pesados) e cerca de 500 colaboradores atuando em revezamento 24 horas por dia.

    “Estamos alertas o tempo todo, monitorando a rodovia com viaturas e câmeras de TV, para oferecer os melhores serviços aos motoristas, mas a manutenção regular dos veículos é primordial para evitar imprevistos e, principalmente, acidentes”, afirma.

    Conforme o coordenador, o balanço do último mês apontou um índice que merece atenção especial, o número de colisões traseiras. Foram registrados 28 acidentes, que, segundo Ademir, poderiam ser evitados com mais atenção dos motoristas em boa parte dos casos.

    “Em muitas ocorrências, a colisão traseira acontece por distração do motorista combinada com alta velocidade”, destaca. “Se o veículo que segue à frente para repentinamente, o motorista que trafega atrás não consegue frear a tempo. É por isso que insistimos: mantenha distância segura e respeite os limites de velocidade”.


    Fonte: ASSECOM
    Imprimir

    RECENTES

    POLÍTICA

    CONCURSOS