Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    sábado, 5 de novembro de 2016

    Modelo da Playboy vai a julgamento nos EUA por ridicularizar corpo de mulher em academia

    Dani Mathers fotografou mulher nua em banheiro e fez piada sobre ela; se for considerada culpada, poderá ser condenada a até seis anos de prisão e pagar multa de US$ 1 mil (R$ 3,23 mil).

    'Se eu não consigo 'desver' isso, você também não consegue', escreveu a modelo em foto de mulher nua (Foto: Dani Mathers/BBC)

    Uma modelo da Playboy irá a julgamento nos Estados Unidos por divulgar nas redes sociais a foto de outra mulher, nua, no banheiro de uma academia e ridicularizar seu corpo.

    Em julho deste ano, Dani Mathers, de 29 anos, compartilhou duas imagens no aplicativo Snapchat ─ na outra, ri e faz cara de nojo.

    Ela foi acusada pela polícia de Los Angeles, no Estado americano da Califórnia, de invasão de privacidade. Se for considerada culpada, poderá ser condenada a até seis meses de prisão e pagar multa de US$ 1 mil (R$ 3,23 mil).

    A mulher retratada na foto, cuja identidade não foi revelada, tem 70 anos. A imagem foi tirada sem o consentimento dela.

    Compartilhar a foto de uma pessoa nua sem a permissão dela é ilegal na Califórnia.

    "Se eu não consigo 'desver' isso, você também não consegue", escreveu a modelo em cima da imagem da mulher nua, em referência a seu corpo.

    A divisão de ataques sexuais da Polícia de Los Angeles investigou o caso e procurou a mulher que foi fotografada.

    Além de se tornar alvo de um inquérito, a modelo foi demitida de seu emprego em um programa de rádio, teve a entrada na rede de academias permanentemente proibida e foi alvo de muitas críticas na internet.

    Dani pediu desculpas pelo ocorrido e afirmou em sua defesa que divulgou a foto pensando que estava em uma conversa privada no Snapchat.

    No entanto, segundo o jornal Los Angeles Times, o advogado dela, Thomas Mesereau, alegou que sua cliente não invadiu a privacidade de ninguém nem violou nenhuma lei.

    Ao anunciar sua decisão, o Procurador do Estado de Los Angeles, Mike Feuer, fez fortes críticas ao chamado "body shaming", uma expressão em inglês que significa zombar de uma pessoa por causa de seu corpo.

    Segundo ele, atitudes como a de Dani são "humilhantes e, com frequência, resultam em consequências dolorosas e de longo prazo" para as vítimas.

    Críticas no Twitter

    Na ocasião, muitos internautas criticaram fortemente a modelo.

    Dani acabou deletando a imagem do Snapchat e resolveu se manifestar usando uma frase conhecida em casos como esses: "não foi isso que eu quis dizer".

    Depois de deletar a foto de seu Snapchat, ela também se desculpou pelo Twitter.

    "Não há desculpas (para o que fiz)", escreveu ela na rede social.

    "Compreendo totalmente o alcance desse post, que eu feri muita gente, mulheres. Body shaming não é legal... não é motivo de piada."

    A modelo afirmou que a foto fazia parte de uma conversa particular que "nunca deveria ter acontecido".

    Dani acrescentou ainda que "lamentava profundamente" por ter "ferido e ofendido todos vocês".

    O pedido de desculpas não colou entre os usuários do Twitter: 'Não, você lamenta porque foi pega. Você se sente melhor consigo mesma ao rebaixar os outros? Você precisa pensar', disse uma mulher; 'Desprezível. Você é uma agressora e um pedido de desculpas não vai mudar isso. Você tem ideia do dano que causou?', postou uma usuária.

    'Que vergonha. Agora sabemos quem você é de verdade. Também não consigo desver isso', afirmou um usuário do Twitter.

    A modelo também postou o pedido de desculpas em uma série de vídeos no Snapchat.

    "Escolhi fazer o que faço para viver porque amo o corpo feminino. E sei que body shaming é errado, que não é algo que faço, não é o tipo de pessoa que sou", afirmou.

    Dani foi eleita a Playmate do Ano em 2015.

    Ela encerrou seu pedido de desculpas dizendo que "preciso me dar um tempo agora para pensar na razão de eu ter feito essa coisa horrível".



    Fonte: G1
    Da BBC

    RECENTES

    POLÍTICA

    CONCURSOS