Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    terça-feira, 15 de novembro de 2016

    Empresário executado hoje sofria ameaça e tinha sido alvo de atentado

    Osvaldo Francisco da Silva é a quarta pessoa ligada ao ramo de transporte de turismo morta em Dourados em 14 meses

    Crime aconteceu na manhã desta terça - Foto: Osvaldo Duarte/Dourados News

    O empresário Osvaldo Francisco da Silva, 58, morto por pistoleiros na manhã de hoje (15) em Dourados, a 233 km de Campo Grande, tinha sido alvo de um atentado há três meses e sofria ameaças de morte, segundo amigos e familiares que estiveram no local do crime.

    Osvaldo é a quarta pessoa ligada ao ramo de transporte de turismo executada por pistoleiros em Dourados nos últimos 14 meses. Nenhum dos outros casos foi esclarecido pela polícia até agora.

    Empresário foi morto com seis tiros na garagem da empresa (Foto: Sidnei Bronka/94 FM)

    Ele foi morto por volta de 7h30 logo após chegar à empresa, localizada na Rua Toshinobu Katayama, entre Joaquim Teixeira Alves e Onofre Pereira de Matos, na área central. 

    Osvaldo levou seis tiros de pistola calibre 40 – dois na cabeça, um nas costas, um no pescoço e dois no braço e mão direita.

    A perícia acredita que ao ver os pistoleiros a vítima tentou correr, mas foi atingida nas costas. Quando ele caiu, o matador se aproximou para terminar o serviço e disparou mais cinco tiros no empresário.

    Tiros em casa 

    Em agosto deste ano, Osvaldo da Silva tinha procurado a polícia para registrar um boletim de ocorrência depois que tiros foram disparados em sua casa, localizada na Rua dos Caiuás, na Vila Esperança, onde ele tinha outra empresa.

    Segundo pessoas ligadas ao empresário, que atuava no transporte de turistas para São Paulo e Goiânia (GO), as ameaças contra ele começaram depois que Osvaldo teria instalado uma filial de sua empresa, a Max Tur, em Ponta Porã, na fronteira com o Paraguai.
    Escopeta calibre 12 foi encontrada no escritório (Foto: Sidnei Bronka/94 FM)

    Osvaldo da Silva andava armado, mas não teve tempo de se defender dos pistoleiros hoje. Atrás da porta do escritório da empresa, a poucos metros do local onde ele caiu morto, policiais civis encontraram uma escopeta calibre 12.

    Outros casos 

    Em fevereiro deste ano, José Edílson de Morais, 40, proprietário da TM Tur, empresa de transporte de turismo, foi morto ao chegar em sua casa, na rua Natal, na Vila Industrial.

    O bandido, encapuzado aproveitou a abertura do portão eletrônico para entrar no quintal e executar o empresário. O pistoleiro chegou a apontar a arma em direção à mulher de José e apertar o gatilho, mas não tinha mais munição.

    Em 6 de outubro de 2015, o motorista Alexander Oliveira Silva, 21 anos, morador no bairro Parque Nova Dourados, foi executado a tiros de pistola calibre 7.65.

    Antes, em 24 de setembro, Toni Ednaldo dos Santos, 40, conhecido como Toni da Van, foi morto com disparos feitos por arma do mesmo calibre usado na morte de Alexander. Ele conversava com um amigo na sala de sua casa quando o pistoleiro chegou e o matou.


    Fonte: campograndenews
    por: Helio de Freitas, de Dourados
    Link original: http://www.campograndenews.com.br/cidades/interior/empresario-executado-hoje-sofria-ameaca-e-tinha-sido-alvo-de-atentado



    Imprimir

    RECENTES

    POLÍTICA

    CONCURSOS