Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    quinta-feira, 3 de novembro de 2016

    CCR MSVia informa| Trechos em obras e serviços com operação pare-e-siga na BR-163

    Reprodução

    A CCR MSVia alerta aos motoristas que trafegam pela BR-163/MS para redobrarem a atenção nos trechos onde ocorrem obras com interferência na pista. Nesses locais, os veículos circulam em sistema pare-e-siga, quando uma das pistas é fechada e a outra opera alternadamente nos dois sentidos de tráfego. Em outros pontos, ainda, a Concessionária realiza desvios no tráfego.

    De acordo com o Serviço de Atendimento ao Usuário – SAU, as operações pare-e-siga foram criadas para que as obras e serviços sejam implantados na pista sem grande interferência no tráfego. Por isso, é muito importante que o usuário fique atento a esses trechos, pois podem acontecer retenções momentâneas de tráfego.

    Pontos com desvio de tráfego:
    • São Gabriel do Oeste – entre os kms 636 e 634 e entre os kms 631 e 629;
    • Campo Grande – no km 490;
    • Dourados – entre os kms 275 e 274.
    Pontos com pare-e-siga:
    • Pedro Gomes/Coxim – entre os kms 773 e 772;
    • São Gabriel do Oeste – entre os kms 649 e 647;
    • Bandeirantes/Rochedo – entre os kms 535 e 534;
    • Jaraguari – entre os kms 522 e 520;
    • Sidrolândia/Nova Alvorada do Sul – entre os kms 414 e 413;
    • Rio Brilhante – no km 334 e entre os kms 312 e 309;
    • Caarapó – entre os kms 215 e 214;
    • Eldorado – no km 64, entre os kms 54 e 53 e entre os kms 44 e 43;
    • Mundo Novo – entre os kms 12 e 11.

    Em caso de chuva, as obras poderão ser interrompidas. Todos os locais estão sinalizados.

    A CCR MSVia alerta que o cronograma de obras e serviços é dinâmico, ou seja, outros pontos de intervenção com pare-e-siga ou desvio de tráfego podem ocorrer ao longo do dia. Acompanhe a evolução da situação de tráfego da BR-163/MS por meio do site www.msvia.com.br em tempo real, ou ligue para o Disque CCR MSVia pelo 0800 648 0163 (ligações gratuitas, inclusive para celulares).



    Fonte: ASSECOM


    Imprimir

    RECENTES

    POLÍTICA

    CONCURSOS